Peruíbe celebra 62 anos nesta quinta-feira e aposta no turismo

A famosa Passarela do Balça, que corta o rio Guaraú, foi reconstruída com o objetivo de fomentar o turismo do Município

Comentar
Compartilhar
18 FEV 2021Por Da Reportagem07h15
Nesta quarta-feira (17), a nova Passarela do Balça foi entregue oficialmenteFoto: Nair Bueno/DL

As comemorações dos 62 anos de emancipação político-administrativa de Peruíbe estão sendo realizadas de forma diferente este ano, em razão da pandemia de Covid-19. A solenidade de hasteamento da bandeira acontece hoje, às 8 horas na Praça Matriz, respeitando os protocolos exigidos no controle da pandemia. Na sequência, será celebrada a tradicional missa de aniversário da cidade na Paróquia São João Batista.

Já as programações com shows, bolo para a população e sessão solene na Câmara não acontecerão por conta da pandemia.

PASSARELA DO BALÇA.

Nesta quarta-feira (17), a nova Passarela do Balça foi entregue oficialmente. A famosa ponte que corta o Rio Guaraú foi reconstruída com novo madeiramento, guarda corpo e grades de proteção, que irão garantir a segurança de todos que utilizam o local. Um novo deck com recuo foi feito no centro da ponte e agora proporciona aos visitantes uma parada confortável para apreciar a reserva ecológica sem atrapalhar o fluxo dos usuários.

O novo equipamento vai ao encontro do fomento turístico da Cidade, presenteando um dos bairros mais preservados e ricos em belezas naturais do município. (Veja mais entregas na C2)

TURISMO.

São 32 km de litoral com belas praias e os menores índices de poluição do Litoral Paulista. Na divisa com Itanhaém, Tapirema, um trecho sem habitação. Em seguida, a Praia de Peruíbe é urbanizada com quiosques, calçadão, ciclovia e jardins. Dentre elas destacam-se as praias do Centro. Em direção ao sul a paisagem torna-se mais natural, com o Costão e sua famosa ducha natural; a Prainha e o Guaraú. Dentro da Jureia são dezenas de praias preservadas e praticamente intocadas, de beleza única, como a Desertinha, Tatuíra, Guarauzinho, Baleia, Arpoador, Parnapoã, Brava, Juquiazinho, Preta, Caramborê e Barra do Una já na divisa com Iguape. As cachoeiras do rio do Ouro, Guanhanhã, Vilão e Antas, as corredeiras do Perequê e do Paraíso, esta com seu tobogã e piscinas naturais, completam a natureza.

HISTÓRIA.

A história de Peruíbe está intimamente ligada ao estabelecimento dos padres jesuítas pelo litoral do estado de São Paulo. Em 1549, chegou o padre Leonardo Nunes para fazer a catequese dos índios. Em 1554, foi a vez de o padre José de Anchieta chegar ao aldeamento. Em 1640, passou a ser conhecida como Aldeia de São João Batista e, em 1789, os padres jesuítas foram expulsos do Brasil. A aldeia, abandonada, entrou em declínio, tornando-se uma pacata vila de pescadores, sempre submetida ao município de Itanhaém.

Em 1914, a construção da Estrada de Ferro Santos-Juquiá trouxe novos habitantes. A bananicultura se espalhou pela região. Nos anos 1950, com a construção de rodovias para o Litoral Sul, a atividade comercial, especialmente a imobiliária, começa a crescer, sendo realizado um plebiscito para definir a emancipação política de Peruíbe, em 24 de dezembro de 195.

Em 18 de fevereiro de 1959, o distrito passou a ser um município desmembrado do território de Itanhaém. Já em 22 de Junho de 1974, Peruíbe foi reconhecida como Estância Balneária.

O desenvolvimento do município até hoje está ligado ao turismo de veraneio, comércio e serviços.