Prefeituras da Baixada buscam apoio contra eventos clandestinos

Todas possuem telefones à disposição da população e contam com a ajuda da Polícia Militar para eventuais transtornos

Comentar
Compartilhar
21 MAR 2021Por Carlos Ratton07h01
As operações das prefeituras sempre contam com as guardas municipais e a Polícia Militar, além dos fiscais do comércio em geral.As operações das prefeituras sempre contam com as guardas municipais e a Polícia Militar, além dos fiscais do comércio em geral.Foto: DIVULGAÇÃO/PMS

"Bom dia! Vi a postagem sobre o pancadão funk clandestino, no bairro Jardim Rádio Clube. Essa madrugada teve e em noites de sábado costumam ser piores. Eu pelo menos ainda ligo para Guarda Municipal e polícia, mas de nada adianta. Se puderem nos ajudar com mais divulgações, fico agradecida. Obrigada".

O relato acima, enviado ao Diário, virou rotineiro. As prefeituras estão se esforçando para coibir eventos clandestinos que provocam aglomeração em tempos de pandemia, mas não há fiscais suficientes para cobrir toda a região. E os pancadões das periferias não são os únicos problemas. Festas clandestinas em bairros nobres também causam perigo de contágio.

Em Santos, a Prefeitura esclarece que, em situações como a do Jardim Rádio Clube, a Polícia Militar (PM) deve ser acionada pelo 190. A Guarda Civil Municipal (GCM) presta apoio sempre que solicitada. Quando constatada a situação, é preciso denunciar via Ouvidoria (162 e www.santos.sp.gov.br/ouvidoria) e pelo telefone 153, da GCM, que fica disponível 24 horas e é interligado ao Centro de Controle Operacional (CCO) de Santos.

A Prefeitura de São Vicente informa que as fiscalizações no Município têm ocorrido com frequência, por meio de força-tarefa envolvendo Guarda Civil Municipal (GCM), Vigilância Sanitária, Secretaria de Comércio, Indústria e Negócios Portuários (Secinp) e Polícia Militar.

As ações vêm gerando autuações, apreensões e fechamentos de estabelecimentos que são flagrados descumprindo as normas em meio à pandemia. É importante que os munícipes colaborem ao flagrarem atos como o citado pela reportagem, denunciando à GCM pelo telefone 153. A Guarda não recebeu nenhuma denúncia de "pancadões", recentemente.

A Prefeitura de Guarujá informa que a Diretoria de Força Tarefa atua em conjunto com a Polícia Militar em pontos já conhecidos por promover eventos irregulares. Só nos últimos dois meses, 42 estabelecimentos já foram flagrados com aglomerações. Foram realizadas ao todo 64 autuações e alguns estabelecimentos foram multados em mais de uma infração.

As fiscalizações prosseguem diariamente, em conjunto com a Polícia Militar e fiscais municipais. A Prefeitura reforça que, para atuar, é importante contar com o apoio da população. Denúncias sobre eventos clandestinos podem ser encaminhadas pelo telefone 153. A ligação é
gratuita.

CUBATÃO E PG

A Prefeitura de Cubatão informa que mantém o serviço de fiscalização dos comércios para que cumpram as ordens dos decreto (seguindo o governo do estado). Em praças e ruas, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública, a polícia militar (por meio da operação delegada) orienta os munícipes para não realizarem eventos que aglomerem pessoas.

Já a Prefeitura de Praia Grande garante que realiza forças-tarefa com o objetivo de coibir eventos, festas e aglomerações. Os trabalhos são realizados em conjunto pela Guarda Civil Municipal (GCM), Polícia Militar e fiscais da Secretaria de Urbanismo. De janeiro deste ano até o momento, foram realizadas 192 forças-tarefas, resultando em mais de seis mil pessoas orientadas. Dois estabelecimentos precisaram ser lacrados.

As ações são para orientar e não estão sendo aplicadas multas, apenas notificações. As forças-tarefas são realizadas frequentemente e acontecem com base em denúncias realizadas na Ouvidoria Municipal (162) e também para a Guarda Civil Municipal (199 e 153).

A Prefeitura de Bertioga está constantemente monitorando e atuando em ações por meio de fiscalização em conjunto com a Policia Militar para coibir tais ações. O acompanhamento através das redes sociais é de suma importância para antecipar ações preventivas evitar estas práticas. A Prefeitura também trabalha para conscientizar a população sobre o enfrentamento ao coronavírus, para que sejam evitadas aglomerações e respeitas as medidas sanitárias.

LITORAL SUL

A Guarda Civil Municipal (GCM) de Mongaguá e o Departamento Municipal de Fiscalização do Comércio realizam rondas diárias, para inibir aglomerações. Atendem denúncias pelos telefones (13) 3445-3023 e (13) 3448-1011/153. Foram 25 eventos cancelados, desde janeiro de 2021. No total, 10 multas foram aplicadas. Nos finais de semana são realizadas ações em conjunto com o Serviço Municipal de Trânsito (Semutran) e a Diretoria de Saúde.

A Guarda Civil Municipal de Itanhaém faz operações em conjunto com a Polícia Militar, nos finais de semana, coibindo a realização deste tipo de evento e qualquer outro que gere aglomerações. As operações serão baseadas nos bairros, em locais que tradicionalmente tem incidência da realização desses encontros.

Por fim, a Prefeitura de Peruíbe explica que todos os dias uma força-tarefa é realizada entre os órgãos de fiscalização e segurança, composto pela Fiscalização de Posturas, Vigilância Sanitária, Guarda Civil Municipal (GCM), Polícia Militar e o Departamento de Mobilidade Urbana com foco nestes incidentes que ferem os decretos da covid-19. Com isso, o último pancadão registrado no município foi no dia 25 de
dezembro.