Órgão estadual promete solução da Marquês de São Vicente em 180 dias

Garantia foi dada por dirigente da Diretoria de Ensino. A direção da escola colocou rede de proteção para evitar acidentes

Comentar
Compartilhar
27 MAR 201510h19

O perigo iminente dentro da Estadual Marquês de São Vicente, localizada na Avenida Bernardino de Campos, 569, no Gonzaga, denunciado semana passada pelo Diário do Litoral, dando conta que pedaços de concreto da marquise, que fica grudada no lado esquerdo do prédio da escola, estão caindo, chegou à Câmara de Santos. A direção da escola colocou rede de proteção para evitar acidentes.

O vereador Marcelo Del Bosco Amaral (PPS) apresentou requerimento pedindo à Diretoria Regional de Ensino, vinculada à Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, informações de quando serão realizadas as obras emergenciais e estruturais na unidade.

Conforme reportagem, dezenas de alunos do Ensino Fundamental e Médio da Escola estão sob o perigo iminente de um acidente.  Recentemente, um pedaço desabou e quase atingiu um estudante, pois a marquise fica entre o prédio e a quadra esportiva. A diretora da unidade fez três orçamentos para recuperar a estrutura, mas a Diretoria Regional de Ensino não libera a obra. 

Pedaços de concreto estão caindo (Foto: Luiz Torres/DL)

Ontem, outro vereador, Douglas Gonçalves (DEM), alertado por alunos, esteve na escola para conferir as condições estruturais. Porém, conforme postou em um de seus perfis no Facebook, foi impedido de entrar na unidade pela diretora, alegando que seria preciso autorização da Diretoria Regional.

Secretaria

O dirigente regional de Ensino de Santos, João Bosco, disse por telefone que a reforma já está sendo providenciada e deve ser concluída em, no máximo, 180 dias. “No último dia 20, um arquiteto e um engenheiro estiveram na escola fazendo uma vistoria técnica. Dentro de alguns dias teremos o orçamento, abriremos a licitação e depois iniciaremos as obras”, disse Bosco, ressaltando que todas as providências para isolar a área foram adotadas, visando a segurança de alunos, professores e funcionários.