Operação de radares divide população

Moradores reclamam que 40km/h é uma velocidade baixa demais

Comentar
Compartilhar
26 MAR 201411h14

Com a volta do funcionamento dos radares em São Vicente, na última segunda-feira, pedestres e motoristas têm opiniões distintas que focam desde o trânsito até a alta velocidade no local, quando os radares estavam desativados. A principal queixa dos motoristas é referente à velocidade máxima permitida na Avenida Presidente Wilson, que é de 40km/h.

Segundo os motoristas entrevistados pela reportagem do DL, a diminuição na velocidade máxima na avenida vai gerar maiores engarrafamentos no local, que já são constantes em horários de pico. É o que opina Erick Freitas, empresário, e que todos os dias passa pela Avenida Presidente Wilson. “40km/h é uma velocidade muita baixa. Vai aumentar o fluxo do trânsito, piorar o caos de carros em São Vicente, já que vamos ter que andar mais devagar. 60km/h estaria bom para uma Avenida tão longa”, afirmou enquanto esperava o semáforo abrir.

Os radares voltaram a funcionar nas duas pistas da Avenida Presidente Wilson (em frente ao colégio Objetivo) e nas Avenidas Ayrton Senna da Silva e Padre Manuel da Nóbrega, na praia, com limite de velocidade de 50km/h. A Secretaria de Transportes afirmou que, durante o período que os radares estavam desativados, realizou um estudo técnico nas vias e concluiu que o número de acidentes havia aumentado.

Neste sentido, Marcel Lopes, enfermeiro, e morador próximo à Av. Presidente Wilson, acredita que “é necessário os radares, ainda mais pelo colégio que na hora de entrada e saída aumenta o número de pedestres no local. Antes os carros passavam em alta velocidade e é preciso controlar a velocidade”.

Presidente Wilson - É uma das avenidas onde o sistema voltou a operar (Foto: Luiz Torres / DL)

Sobre a velocidade, o militar Jorge Luiz, que estava buscando o filho no Colégio em frente ao radar, disse que 40km/h é uma velocidade muito baixa para a Avenida e que vai “acarretar num tráfego maior, mais lento. Apesar de ser em frente ao colégio, mas já tem a faixa de pedestre que com um guarda de trânsito diminuiria a velocidade e permitiria a travessia dos pedestres”. Jorge opina que o radar “pode se tornar uma fábrica de multas”. Referente a essa afirmação, a Prefeitura de São Vicente informou, através da Secretaria de Transportes, que só é multado quem passa acima da velocidade permitida. Sobre a faixa, a secretaria disse que ela é uma área determinada para travessia de pedestre e não reduz a velocidade dos veículos.

A preocupação da secretaria é reduzir as ocorrências e garantir a segurança no trânsito. Quanto à reclamação a respeito da velocidade, a Prefeitura de São Vicente afirma que pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB), a velocidade permitida em frente às escolas é de 40 km/h. “O objetivo principal da Secretaria é reduzir as ocorrências e melhorar a segurança no trânsito”.

A Secretaria de Transportes afirmou que após o estudo técnico nas vias, concluiu o aumento de acidentes no período em que os radares estiveram desativados, principalmente nas Avenidas que os aparelhos voltaram a funcionar. Vale lembrar que o valor da multa para quem ultrapassar a velocidade em até 20% do limite permitido, é de R$ 85,13, mais quatro pontos na carteira de habilitação. Entre 20% e 50%, o valor é de R$ 127,69, mais cinco pontos; e acima de 50%, a quantia é de R$ 574,62, com suspensão da CNH.