Operação da PF no Porto contra esquema de tráfico de cocaína

Na Baixada Santista, foram seis mandados judiciais de busca e apreensão e três de prisão preventiva

Comentar
Compartilhar
10 OUT 2017Por Da Reportagem12h55
A Operação Contentor cumpriu ordens judiciais em SantosFoto: Arquivo/DL

A Polícia Federal, em parceria com a Receita Federal, deflagrou na manhã de hoje duas operações para combater o tráfico internacional de cocaína. A Operação Contentor cumpriu ordens judiciais em Santos. Mesma operação foi realizada em outras oito cidades, incluindo a Capital Paulista.

Na Baixada Santista, foram seis mandados judiciais de busca e apreensão e três de prisão preventiva. Os suspeitos foram levados para a Delegacia de Polícia Federal, no Centro de Santos.

Além da Operação Contentor, a PF também realiza a Operação Oceano Branco, em outras cidades brasileiras. As duas operações juntas contabilizam 450 agentes da Polícia Federal e 25 servidores da Receita, cumprindo, no total, 45 mandados de prisão preventiva, 15 de prisão temporária, 12 conduções coercitivas e 104 mandados de busca e apreensão.

De acordo com as investigações da PF, nas duas operações, o esquema das quadrilhas era semelhante. Os grupos criminosos colocavam contêineres com a droga junto com mercadorias lícitas que partiriam para países europeus em sua maioria.

Operação Contentor

A operação começou no final de 2016, em Joinville, e apreendeu cerca de duas toneladas de cocaína. Segundo a PF, a droga era adquirida na fronteira do Brasil com a Bolívia e entrava no país em pequenos aviões, que pousavam no aero clube de São Francisco do Sul, em Santa Catarina. Depois a mercadoria era escondida em grandes bolsas que eram encaminhadas para o Porto de Itapoá.

Operação Mar Branco

A operação Mar Branco começou antes da Contentor. Em março de 2016, na cidade de Itajaí, foram apreendidos pela PF cerca de seis toneladas de cocaína em 12 ações diferentes, sendo seis no Brasil e as demais na Bélgica, França e Espanha.

A quadrilha enviava a cocaína escondida em cargas de bobina de aço, abacaxi em latas e blocos de granito. Os carregamentos da droga partiam do Complexo Portuário Itajaí Navegantes.

De acordo com as investigações da PF, o mesmo grupo também é responsável por carregamentos interceptados na Itália, Dinamarca, Espanha, Arábia Saudita e Turquia, que somados dão duas toneladas e meia da droga.

Os mandados da Operação Oceano Branco estão sendo cumpridas nos municípios catarinenses de Itajaí, Balneário Camboriú, Navegantes, Ipanema, Penha, Tijucas, Florianopolis, São Francisco do Sul e Joinville. A cidade gaúcha de Imbé também está no alvo da PF.

Todos os suspeitos, das duas operações, responderão por tráfico e associação ao tráfico internacional de drogas, falsificação de documentos e uso de documentos falsos. As penas para tráfico podem chegar a 25 anos de prisão. (Com informações da Agência do Rádio Mais).

Colunas

Contraponto