Ônibus-teatro promove viagem lúdica pelas histórias da mata

No Dia Internacional do Teatro, ônibus-teatro estaciona em Cubatão, com o objetivo descentralizar a cultura e homenagear os povos indígenas, ribeirinhos e quilombolas do Vale do Ribeira

Comentar
Compartilhar
26 MAR 2017Por Rafaella Martinez10h50
Ônibus-teatro percorerrá sete escolas cubatenses a partir desta segunda-feira (27). Programação encerra no dia 9 de abril, com apresentação no Parque Novo AnilinasÔnibus-teatro percorerrá sete escolas cubatenses a partir desta segunda-feira (27). Programação encerra no dia 9 de abril, com apresentação no Parque Novo AnilinasFoto: Divulgação

Dentro de um antigo ônibus, que guarda dentro de si inúmeras histórias, atores e técnicos trabalham nos últimos ajustes para que, a partir de amanhã, quem embarcar no Circular: Histórias da Mata faça uma verdadeira viagem pela cultura dos povos indígenas, quilombolas e ribeirinhos do Vale do Ribeira. Adaptado com todos os recursos técnicos de som e luz para se transformar em uma sala de teatro itinerante, o projeto do Grupo Teatro Aberto de Santos – que tem apoio do Instituto Cultural Usiminas e patrocínio da Usiminas através do Programa de Ação Cultural (ProAC) do Estado de São Paulo - celebra a Semana do Teatro com apresentações gratuitas e em espaços descentralizados da cidade.

O ônibus passará por sete escolas cubatenses, atendendo um público de 1.600 alunos entre os dias 27 de março e 5 de abril. As apresentações se estendem para as festividades de aniversário da cidade, onde o ônibus estacionará no dia 8 (sábado), no Conjunto Habitacional Rubens Lara, e no dia 9 (domingo), no Parque Novo Anilinas. Nesses dois espaços o espetáculo será aberto ao público e realizado à partir das 14h, sendo necessária a retirada dos ingressos com 30 minutos de antecedência.

“Após contarmos as histórias do mar, que foi tema da última montagem do Circular, decidimos continuar com a proposta e contar agora com uma pesquisa sobre os povos que vivem na mata. A partir de um trabalho de campo, buscamos nas culturas indígena, ribeirinha e quilombola suas histórias, costumes e lendas. Queremos levar um pouco da energia e do equilíbrio da mata para os lugares por onde o ônibus-teatro passar”, explica a produtora Talita Berthi.

O espetáculo tem como norte a importância da preservação do meio ambiente, o respeito às diferentes culturas e a difusão da arte. Em cena, um guia e um motorista convidam o público a embarcar em uma expedição para conhecer a vida na mata. Eles saem da barra, onde o rio se encontra com o mar, e vão rio acima conhecendo personagens e histórias dos povos e dos bichos que vivem longe da cidade. Neste percurso, conhecem uma lenda indígena e a vida no quilombo, além dos perigos e encantos da mata.

“Na pesquisa de campo que o grupo fez em Cananéia, notamos a importância da mata ciliar, que fica às margens dos rios e serve como corredor para que os animais se desloquem em busca de água e comida. Da mesma forma que os cílios protegem os olhos, as matas ciliares protegem os rios, por isso elas recebem esse nome. Durante o espetáculo explicamos essa e outras curiosidades às crianças”, complementa Douglas Zanovelli, também produtor do projeto.

Para encenar de forma lúdica a necessidade de preservar o meio ambiente, o ônibus-teatro foi especialmente preparado com um cenário confeccionado pelo artista Edivaldo Costa, que também assina a direção artística do espetáculo. “A maior parte da cenografia foi confeccionada a partir de materiais recicláveis e diversas técnicas de bonecos foram aplicadas como mamulengo, marionete, fantoche, máscara e varas. O espetáculo foi montado exclusivamente para esse espaço, onde a cenografia interage com o ônibus e com a plateia, proporcionando ao público uma experiência única”, completa Edivaldo.

O espetáculo tem dramaturgia coletiva de Douglas Zanovelli, Cida Cunha e Edivaldo Costa e no elenco se revezam os atores Léo Porto, Rogério Ramos, Edivaldo Costa e Douglas Zanovelli. No total, serão realizadas 160 apresentações gratuitas distribuídas em quatro cidades paulistas ainda este ano: Cubatão, Guarulhos, Santos e Taubaté.

Sobre o Circular: Histórias

O Circular: Histórias é um projeto de apresentações teatrais dentro de um ônibus urbano – e portanto, já repleto de histórias – adaptado para a cena teatral. O foco central do projeto é usar a metáfora do embarque, da viagem e da partida, para inserir o público em um universo mágico e repleto de histórias.

O projeto foi idealizado em 2009 por Talita Berthi e Douglas Zanovelli, e desde então já circulou com as montagens ‘Histórias Circular’, com textos inspirados nos contos populares recolhidos por Câmara Cascudo e ‘Histórias do Mar’, com textos inspirados na cultura caiçara, atingindo um público de 50 mil espectadores em 25 cidades percorridas. Mais informações em: www.circularhistorias.com.br ou f/circularhistorias.