Ônibus municipais de Santos terão aviso de assalto

Em fase de testes, o sistema tornou-se obrigatório com a sanção de uma lei municipal em 21 de março. O autor da proposta foi o vereador Sergio Santana (PR)

Comentar
Compartilhar
18 JUL 2018Por Da Reportagem15h25
Viação Piracicabana tem até setembro para colocar o dispositivo em operação nos ônibus de forma definitivaViação Piracicabana tem até setembro para colocar o dispositivo em operação nos ônibus de forma definitivaFoto: Reprodução

Até setembro, os ônibus municipais de Santos contarão com um dispositivo de segurança. Em caso de assalto, o motorista poderá acionar um botão e uma mensagem ‘Socorro Assalto’ aparecerá no letreiro do veículo.

Em fase de testes, o sistema tornou-se obrigatório com a sanção de uma lei municipal em 21 de março. O autor da proposta foi o vereador Sergio Santana (PR).

Pela lei, a Viação Piracicabana, permissionária do serviço de transporte coletivo na Cidade, tem até setembro para colocar o dispositivo em operação nos ônibus de forma definitiva.

Em nota, a permissionária informou que, no momento, realiza testes para funcionamento do sistema nos coletivos, sendo possível iniciar o funcionamento antes do prazo determinado.

A lei tem o objetivo de prevenir furtos, roubos, vandalismo, depredação, violência e outros atos que comprometam a segurança dos usuários e funcionários.

Ônibus também terão sistema de reconhecimento facial

Outra novidade no transporte público municipal é o reconhecimento facial. Por iniciativa da CET-Santos, a Viação Piracicabana vai implantar a nova tecnologia para a bilhetagem eletrônica no transporte coletivo municipal.

Com a finalidade de coibir fraudes, o sistema valerá, em princípio, para estudantes que fazem uso de passe escolar (50% de desconto) e deficientes cadastrados para usufruir do benefício da gratuidade.

Responsável pela gestão do trânsito e transporte na Cidade, a CET publicou resolução sobre o assunto na edição da última sexta-feira (13) do Diário Oficial, autorizando a implantação da tecnologia.

Nas próximas semanas, a empresa permissionária do transporte coletivo realizará campanha para informar sobre a adoção do reconhecimento facial, já afixando cartazes nos coletivos. Até o final do mês, o controle da bilhetagem eletrônica por biometria deverá ser ativado.

O sistema de reconhecimento facial será formado por equipamentos instalados nos ônibus, garagens e na central de processamento da permissionária, que armazenará os dados dos usuários (imagens faciais) devidamente cadastrados.

Funcionamento

Ao ingressar no ônibus e passar o cartão eletrônico, o usuário terá a validação e liberação da catraca. Ao mesmo tempo, imagens faciais suas serão captadas e processadas pelo sistema informatizado.

Se no processamento não for confirmada a similaridade entre as imagens (as feitas no ato e com as do banco de dados), ocorrerá auditoria para inspeção visual e verificação da desconformidade.

Configurada alguma irregularidade (uso indevido ou fraudulento), o titular do cartão será notificado pela permissionária para, em até sete dias, fazer novo cadastro facial.

Após esse prazo, caso não atenda à notificação, o cartão ficará bloqueado até que providencie o recadastramento. Quando fizer o novo cadastro, assinará termo de compromisso de utilização e será advertido sobre o bloqueio do cartão em caso de reincidência.

O cartão poderá ser bloqueado por período de 60 dias (1ª reincidência), 120 dias (2ª) e 360 dias (terceira ocorrência).

O serviço de transporte coletivo convencional opera com 40 linhas que, ao longo do ano passado, somaram cerca de 47 milhões de embarques. Desse total, 1.455.291 foram de passageiros regularmente cadastrados como deficientes e, portanto, com gratuidade na tarifa.

Já o número de estudantes com benefício do desconto de 50% sobre a tarifa é da ordem de 12 mil.