Oficina de grafite promove contato de pessoas em situação de rua com a arte

O objetivo da ação foi tornar a atividade artística acessível a todos e promover um ambiente de transformação social

Comentar
Compartilhar
11 ABR 2018Por Da Reportagem17h38
A oficina foi conduzida pelo artista Carlos Roberto da Silva, conhecido como CattsFoto: Divulgação/PMS

Com o rolo de tinta em mãos e um sorriso estampado no rosto, Michael estava animado e focado na pintura, prestando atenção em cada detalhe do desenho. Ele é um dos atendidos pelo Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua, Centro Pop (Rua Conselheiro Saraiva, 13, Vila Nova), que nesta quarta-feira (11) participou de uma oficina de grafite, junto com outros cinco atendidos pelo serviço. O desenho que apresentava um caranguejo-eremita, um joão-de-barro e uma pessoa segurando uma casa em suas mãos, foi trabalhado em toda a fachada do equipamento. O objetivo da ação foi tornar a atividade artística acessível a todos e promover um ambiente de transformação social.

A oficina foi conduzida pelo artista Carlos Roberto da Silva, conhecido como Catts, professor de grafite que trabalha com essa arte há cinco anos. "O desenho representa a importância do lar e de se sentir acolhido. Achei importante a participação de pessoas atendidas pelo Centro Pop; eles realmente se envolveram no trabalho, foi gratificante. Acredito que o contato com a arte ajuda as pessoas a se sentirem mais humanas, acolhidas e felizes", afirmou Catts.

Esse trabalho artístico já vem sendo desenvolvido em escolas e diferentes espaços públicos da Cidade. "Iniciativas como essa devem ser cada vez mais frequentes, pois o acesso à cultura é um direito de todos e a promoção dessa experiência para população em situação de rua tem um potencial realmente transformador", afirmou o Secretário de Desenvolvimento Social, Flávio Ramirez Jordão.