Obras no Parque da Montanha, em Guarujá, são retomadas

Conjunto habitacional tinha obras paradas desde 2016 e vai abrigar mais de 1000 famílias

Comentar
Compartilhar
13 ABR 2018Por Da Reportagem21h38
A obra faz parte da terceira etapa do Projeto Porto CidadeFoto: Divulgação/PMG

Guarujá vem trilhando, neste último um ano e quatro meses, um caminho de esperança e de recuperação de dignidade. E parte desta recuperação, que o governo municipal está realizando, vem com a retomada de obras paralisadas e que devem mudar os rumos da Cidade.

Uma delas é a construção do Conjunto Habitacional do Parque da Montanha, obra iniciada há 12 anos e que já enfrentou diversas paradas ao longo deste tempo todo. Nesta semana, a Administração Municipal voltou aos trabalhos para finalizar este conjunto que deve abrigar mais de 1000 famílias.

As ações foram retomadas com a instalação de toda a estrutura de drenagem, esgoto e iluminação. Finalizada esta etapa, os trabalhos serão voltados na recuperação das mais de 500 unidades já construídas na primeira fase, para que em breve possam receber seus primeiros moradores.

A obra faz parte da terceira etapa do Projeto Porto Cidade, da Secretaria Municipal de Habitação, e recebe recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC I), do Governo Federal. No total, serão 1.962 novas unidades, que vão abrigar famílias oriundas da Prainha e do Sítio Conceiçãozinha, em Vicente de Carvalho.

Segundo o prefeito Valter Suman, a Administração Municipal tem buscado atuar em todos os cantos da Cidade com obras que impactam e mudam a vida da população. "É nossa obrigação cuidar do dinheiro público e recuperar obras que foram negligenciadas por outros governos e que podem melhorar a vida da nossa gente. Finalizar esta obra é dar dignidade para pessoas que moram em condições subnormais e precisam dessas casas para construir suas famílias", pontuou Suman.

Além disso, conforme a liberação do espaço na Prainha e Sítio Conceiçãozinha, o Porto poderá ser expandido e gerar mais empregos. Esse planejamento já faz parte do Plano Local de Habitação de Interesse Social (PLHIS).