Obras da Lagoa da Saudade, em Santos, estão em ritmo lento

Reforma começou em agosto. Antigos passeios foram demolidos e devem dar lugar a um deck de concreto de 1,6 mil metros quadrado

Comentar
Compartilhar
15 NOV 2018Por Da Reportagem08h20
O investimento é de R$ 1,4 milhão, proveniente do Governo do EstadoO investimento é de R$ 1,4 milhão, proveniente do Governo do EstadoFoto: Nair Bueno/DL

“É um absurdo! Mais um feriado grande na cidade chegando e a nossa Lagoa da Saudade está totalmente destruída e sem condições de receber os turistas e sem espaço descente de lazer para os moradores. Esta semana, vi um caminhão levando o contêiner que alojava os trabalhadores. Até o ponto de ônibus foi arrancado. Estou cansado de reclamar aqui no plenário. Se a obra fosse tocada pelos moradores, já estava pronta”.

O desabafo é do vereador Lincoln Reis (PR) que, na última sessão, mais uma vez cobrou providências da Administração. Segundo o parlamentar, as empreiteiras contratadas pela Prefeitura não estão cumprindo contrato e atrasando as obras.

As obras de reurbanização da Lagoa da Saudade, localizada no Morro da Nova Cintra, começaram em agosto último. Os antigos passeios foram demolidos e devem dar lugar a um deck de concreto de 1,6 mil metros quadrados. O projeto também inclui áreas de gramado, playground, 22 bancos e dez lixeiras ao redor da lagoa, além de novas placas de sinalização. A iluminação ganhará 70 luminárias em LED para postes e grama.

Segundo a Prefeitura, o objetivo do projeto, que é gerenciado pela Secretaria de Infraestrutura e Edificações, é tornar o ambiente mais seguro para quem visita o espaço. O investimento é de R$ 1,4 milhão, proveniente do Governo do Estado. A última previsão é que o equipamento público seja entregue em janeiro próximo.  

Prefeitura

Questionada ontem, a Prefeitura informou que as obras não pararam, mas estão em ritmo lento e que os primeiros serviços foram a demolição dos antigos passeios e a retirada dos entulhos. Depois começou a etapa de cravação das 150 estacas que vão sustentar o deck, com capacidade de carga de 100 toneladas, fincadas no solo a uma profundidade de 15 metros.

Conforme explica, devido a interferências observadas durante a execução da obra - rede da Sabesp, cabeamento da CPFL e conjunto arbóreo - que impediram o posicionamento das máquinas que realizam a cravação, o serviço não pode ser executado em sua totalidade.

A Administração afirma que essa intercorrência demandou a redução do ritmo da obra para que os técnicos da Prefeitura realizem as adequações técnicas que vão permitir a finalização dos serviços. Parte das estacas do tipo de cravação serão substituídas por estacas escavadas, do tipo raiz. Isso demandará uma extensão no prazo total da obra em mais dois meses.

Na sequência, revela, começará a execução dos blocos e vigas da fundação onde será apoiada a laje do deck. O projeto prevê que o número de quiosques vai dobrar, passando de dois para quatro. Serão instalados 22 bancos e 10 lixeiras ao redor da lagoa, além de novas placas de sinalização. A iluminação estará garantida com 70 luminárias em LED para poste e grama. Tudo para tornar o ambiente mais seguro para quem visita o espaço no Morro da Nova Cintra.