Obra de ciclovia divide opiniões em São Vicente

Moradores questionam falta de calçada e conflito com pontos de ônibus na Área Continental

Comentar
Compartilhar
05 MAI 201511h50

A construção de ciclovia ligando os bairros Jardim Rio Branco e Jardim Irmã Dolores, na Área Continental de São Vicente, divide a opinião de moradores. Alguns aprovam. Outros não. Há ainda os que não sabem o que será feito no local. Entre as preocupações está a ausência de calçada para pedestres e os pontos de ônibus existentes no trecho. A obra é realizada com recursos do Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias (Dade), órgão do Governo do Estado. Um investimento de R$ 1.137.571,58.

“Acho ótimo construir essa ciclovia. A Área Continental tem muito ciclista. Os carros têm que parar para os ciclistas passarem. Já vi acidente com bicicleta ali em frente à escola (EMEF Jorge Bierrenbach Senra)”, disse Jandiro Fagundes, servidor público aposentado, morador do Jardim Rio Branco.

O aposentado João Pereira de Souza concorda com a opinião de Jandiro, no entanto disse que falta informação sobre o projeto. “Legal construir a ciclovia, mas acho errado se não tiver calçada. Ninguém fala se vai ter ou não, mas pelo que a gente está vendo não terá. Os ciclistas vão andar no meio dos pedestres? Tem que ver como vai ser essa obra”, questionou o morador.

Prefeitura disse que pontos de ônibus ficam no local (Foto: Luiz Torres/DL)

Para o motorista Valmir Carlos da Silva, morador do bairro Jardim Rio Negro, a obra não é bem-vinda. “Tanta coisa para fazer na Área Continental e eles vão inventar de fazer ciclovia. Até acho legal, mas se tudo estivesse bom. Com o valor que está sendo gasto poderia fazer coisa mais importante. A gente não tem nada aqui. Olha bem o que eles estão fazendo. Como o povo vai pegar ônibus com ciclovia. De manhã cedo que fica de 30 a 40 pessoas nos pontos como vão lidar com os ciclistas?”, questionou.

A ciclovia é construída às margens da Avenida Quarentenário ao lado da antiga linha férrea que ligava o Samaritá à Ponte dos Barreiros. Segundo a Prefeitura de São Vicente, o empreendimento terá aproximadamente um quilômetro de extensão, entre a Avenida Ulysses Guimarães, no Jardim Rio Branco, e a lagoa do Quarentenário, no Jardim Irmã Dolores.
A Administração Municipal informou que o trecho de ciclovia será sinalizado e não contará com calçada. Os pontos de ônibus serão mantidos nos mesmos locais. A obra teve início em fevereiro. O prazo de conclusão é de um ano.