Obra da Rua General Câmara, em Santos, ainda não foi concluída

Revitalização, orçada em R$ 1,3 milhão, começou em julho de 2015 e, em princípio, seria concluída em três meses

Comentar
Compartilhar
11 FEV 2017Por Vanessa Pimentel08h00
O buraco localizado no início da Rua General Câmara fica em frente ao prédio da Guarda PortuáriaFoto: Matheus Tagé/DL

Quem precisa pegar a Rua General Câmara desde o início, observa dois detalhes: o primeiro é uma placa grande e amarela do Governo do Estado que anuncia a obra de revitalização da via. O segundo é o solavanco no carro ao passar pelo enorme buraco localizado logo na entrada da rua. A obra, orçada em R$ 1.384.650,85, foi iniciada em 06/07/2015 e o prazo para conclusão era de três meses, porém, quase dois anos depois, a reforma, segundo a Prefeitura, está “quase pronta”.

O buraco fica em frente ao prédio da Guarda Portuária. Um funcionário que preferiu não se identificar disse que há meses o pessoal da corporação pede reparos, mas nada é feito. Segundo ele, uma das hipóteses para a cratera é o intenso movimento de caminhões, já que ali também é a saída de uma balança de cargas.

“Além do buraco, olha a sujeira que fica”, diz enquanto aponta para as pedras que se espalharam com o impacto das rodas e as diversas poças de água e lama.

Além da rua, as calçadas também estão em péssimo estado. Andar ali, tanto a pé quanto de carro está complicado. Um morador do prédio da esquina disse que é comum observar pessoas tropeçando e até mesmo caindo devido às condições, mas que “sempre foi assim”.

Também citou que há poucos minutos antes da Reportagem chegar, um caminhão da Prefeitura estava no local fazendo a limpeza do bueiro, mas ainda havia lama espalhada e forte odor.

Rua Aguiar de Andrade

A via que atravessa a General Câmara em sua primeira esquina é a Aguiar de Andrade. De paralelepípedos, a rua encontra-se desnivelada, com muitos buracos e praticamente sem calçadas. Ali só é possível dirigir muito devagar. “Essa rua é o acesso principal à Avenida Perimetral, mas nesse estado a gente não consegue passar. Então, somos obrigados a dar a volta, o que atrasa o atendimento das ocorrências”, relata o guarda portuário.

Rua Dr. Eduardo Ferreira

Outra via que também precisa de reparos é a Dr. Eduardo Ferreira. Nela os buracos não são tão grandes, porém mais profundos. Um fica logo no início da rua, o outro mais a frente. Para os motociclistas, o risco de acidente é mais evidente, principalmente quando chove, pois na região ocorrem enchentes.

Prefeitura

Questionada, a Administração informou que “a obra de revitalização está quase pronta, faltando apenas alguns arremates” e que os serviços sofreram atraso devido a trechos que necessitaram de intervenção maior de drenagem.

Sobre o buraco no início da Rua General Câmara, disse que um fiscal da Prefeitura irá até o local e que a Administração já está analisando o problema no pavimento da via, provocado pelos caminhões que saem de uma balança particular localizada na esquina.

Para reparo nas ruas do entorno, explicou que elas foram mapeadas para pavimentação, mas ainda busca recursos para execução dos serviços ou parceria com a iniciativa privada.

Já a manutenção das calçadas é de responsabilidade dos proprietários dos imóveis. A intervenção nos passeios pela Prefeitura ocorre apenas em áreas de interesse histórico, turístico, comercial ou de grande fluxo de pessoas, o que, segundo ela, não seria o caso dos locais citados onde o fluxo maior é de caminhões.