Obama defende "mudança" social para diminuir portes de armas

O presidente dos Estados Unidos recordou a data do tiroteio em uma escola, no ano passado, quando morreram 20 crianças e seis adultos

Comentar
Compartilhar
14 DEZ 201314h17

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, defendeu hoje uma “mudança” social que torne o país “mais seguro”, ao recordar a data do tiroteio em uma escola, no ano passado, quando morreram 20 crianças e seis adultos.

“Ainda não fizemos o suficiente para que as nossas comunidades e o nosso país sejam mais seguros. Temos de fazer mais para evitar que as pessoas perigosas possam conseguir uma arma tão facilmente”, disse Obama na sua mensagem semanal, dedicada hoje a tragédia da Escola Sandy Hook, de Newtown.

No dia 14 de dezembro de 2012, aquela localidade “pacífica e tranquila foi atingida por uma violência indescritível”, lembrou, considerando que “a verdadeira mudança” não virá dos políticos em Washington, mas sim “do povo norte-americano”. Tragédias como a de Newtown “devem acabar e para acabar com elas é preciso mudar”, insistiu Obama.

Há um ano o jovem de 20 anos com problemas mentais, Adam Lanza, matou em dez minutos, com armas semiautomáticas, 20 crianças e seis adultos da escola primária Sandy Hook, naquela localidade de Connecticut.

Barack Obama defendeu hoje uma 'mudança' social que torne o país 'mais seguro' (Foto: Associated Press)