O tratamento da água para consumo

A estação trata quatro mil litros de água por segundo

Comentar
Compartilhar
25 FEV 201321h00

A água que chega em nossas casas, pronta para o consumo,  percorre um longo caminho desde a sua captação e distribuição. Em uma visita à Estação de Tratamento da Sabesp, em Cubatão (ETA-3 Cubatão), acompanhamos o processo de tratamento que leva em torno de três horas. A estação trata quatro mil litros de água por segundo.

O gerente do Setor de Produção de Água da ETA-3 Cubatão, engenheiro Roberto Ferreira, explica que a água é captada do Rio Cubatão e passa por seis etapas de purificação para a retirada de impurezas e microorganismos. São elas Desinfeção, Fluoretação, Coagulação, Floculação, Decantação e Filtração.

Logo na primeira etapa é adicionado cloro à água para a destruição de micróbios e bactérias. Depois a água recebe o cloreto férrico e o ácido fluorsilícico, que provoca uma reação química coagulando as impurezas existentes, formando um precipitado. Em seguida, no processo de floculação, as impurezas são agrupadas.

Em seguida, a água com os flocos de impurezas segue para os tanques de decantação, onde ocorre o processo de sedimentação das partículas de impurezas, preparando-a para a filtração, em tanques de areia.

Após a filtragem é adicionado fluor à água. Ferreira diz que durante o processo de tratamento, são colhidas amostras, de hora em hora, para análise da qualidade da água. O engenheiro afirma que em cada 100 mil litros de água deve conter 2 gramas de cloro ou 2 ppm (parte por milhão). Ao término do tratamento, novas amostras são analisadas pelo setor de fiscalização sanitária da Sabesp. Atestada como portável, a água é distribuída para cinco cidades da Região.

De acordo com o gerente de produção da Sabesp, a ETA-3 Cubatão distribui água para Santos, Cubatão, São Vicente, Praia Grande e Guarujá abastecendo 604.222 famílias ou economias — como são classificados os consumidores.