Número de mortes por terremotos no Nepal chega a 2.200

Na capital do país, milhares de pessoas passaram a noite em áreas abertas, com medo de novos tremores

Comentar
Compartilhar
26 ABR 201511h12

O porta-voz da polícia do Nepal, Kamal Singh Bam, afirmou que os trabalhos de busca e resgate prosseguem nas áreas afetadas pelo terremoto que atingiu o país ontem, e confirmou que o número de mortes já chega a 2.263. Outras 5.880 pessoas ficaram feridas. "Nossa prioridade é tirar as pessoas que estão presas nos escombros", disse Bam.

Soldados e policiais realizam buscas entre os escombros no vale Katmandu e em outras partes do país, que foi atingido por um terremoto de magnitude 7,8 ontem. Ainda são registrados tremores secundários na região. Um deles, na manhã de hoje, foi de magnitude 6,7.

O terremoto de sábado, que ocorreu por volta das 12h (horário local), devastou o território, causou danos extensos ao centro histórico da cidade de Katmandu e a pequenos vilarejos na região. Os tremores também desencadearam uma avalanche no Monte Everest, que atingiu acampamento na base da montanha. Pelo menos 17 pessoas morreram e 61 ficaram feridas como resultado dos deslizamentos.

Número de mortes por terremotos no Nepal chega a 2.200 (Foto: AP)

"Muitas propriedades foram perdidas. Irá demorar muitos meses para que as coisas voltem à normalidade", afirmou Krishna Prasad Dhakal, chefe de missão na embaixada do Nepal em Nova Délhi. Segundo ele, o Nepal conta com equipes de busca e resgate dos Estados Unidos, Índia, China, Cingapura e de outros países.

No domingo, o exército do Nepal está focado em operações de resgate na cidade e no vale do Katmandu, onde vivem 2,5 milhões de pessoas. O porta-voz da polícia, Kamal Singh Bam, afirmou que o governo espera ter "uma imagem clara da extensão dos danos" quando as equipes percorrerem um território maior hoje. Ele afirmou que pode levar dias até que o resgate alcance as áreas mais remotas.

Na capital do país, milhares de pessoas passaram a noite em áreas abertas, com medo de novos tremores. O epicentro do terremoto foi a cerca de 80 quilômetros a noroeste de Katmandu, de acordo com o Instituto de Geofísica dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês). O terremoto foi o maior a atingir a nação asiática em mais de 80 anos.