Núcleo Henry passará por reforma em Praia Grande

Atendimentos serão realizados em unidade no Bairro Boqueirão a partir do dia 18.

Comentar
Compartilhar
03 FEV 201314h06

O prédio do Núcleo Henry de Reabilitação Física e Mental passará por reforma completa de sua estrutura. A Secretaria de Saúde Pública (Sesap) de Praia Grande confirmou que a obra faz parte de projeto da Administração Municipal de revitalizar os equipamentos de saúde da Cidade. Os atendimentos aos pacientes serão realizados a partir do dia 18, em uma unidade localizada na Rua São Bernardo, n° 401, Bairro Boqueirão.

“A reforma das unidades de saúde era uma das prioridades estipulada no plano de governo do prefeito Alberto Mourão. Os trabalhos no Núcleo Henry funcionarão como ponto de partida desses trabalhos”, declarou o secretário de Saúde Pública do Município, Francisco Jaimez Gago.

O local provisório onde será dada sequências aos atendimentos a partir do dia 18, até a conclusão dos serviços no Núcleo, conta com instalações modernas e confortáveis. Outro destaque diz respeito a questão de acessibilidade, já que o espaço conta com adaptações para portadores de necessidades especiais em salas, banheiros e outros áreas.

“Durante os próximos dias será realizado todo processo que implica na mudança para a Rua São Bernardo. A partir do dia 18, o atendimento manterá normalmente o mesmo cronograma de serviços que vinha sendo utilizado”, afirmou o secretário executivo da Sesap, Cleber Suckcow Nogueira.  

(Foto: Divulgação)

Núcleo Henry

A unidade funciona desde em 1994 na Avenida Guilherme Penteado de Campos s/nº, no Bairro Mirim e atende crianças e jovens, na faixa etária de 0 a 18 anos. O local presta assistência nas áreas de Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Psicologia, Fonoaudiologia, Pediatria, Neurologia e Assistência Social. Atualmente, cerca de 500 pacientes recebem atendimento no local.

Os pacientes atendidos pelo Núcleo Henry são encaminhados por meio de consulta com neurologista, que indica o tratamento mais adequado para cada caso. Com encaminhamento em mãos, o responsável passa por uma entrevista com a assistente social da unidade, para definição do perfil do paciente.

“O objetivo dos trabalhos é inserir cada paciente na sociedade, respeitando suas limitações e investindo em seus potenciais. É um trabalho lento e desenvolvido em várias etapas”, disse a diretora da unidade, Maria Cecília Cabrita.