Novo prazo: quiosques do Canal 3 serão remodelados até dia 19

Previsão de secretário municipal era entregar as chaves até o dia 10. Novos quiosques terão espaços para acomodar cadeirantes.

Comentar
Compartilhar
11 DEZ 201209h42

Mais quatro dias de atraso na entrega das chaves e o secretário de Infraestrutura e Edificações de Santos, Nilson Barreiro, garante que os quiosques do Canal 3 devem entrar em funcionamento a partir do dia 19 deste mês.

O prazo que o chefe da pasta havia estipulado, em entrevista para o Diário do Litoral na última semana, era que a conclusão das obras aconteceria até o dia 10 de dezembro. Depois, os permissionários teriam alguns dias para se instalar nas estruturas e, então, começar a trabalhar.

Ontem, por telefone, Nilson disse que alguns problemas nas ligações da parte elétrica das estruturas, em conjunto com a CPFL, atrasaram o fim das obras no local. “Até o dia 14 estamos liberando os quiosques para eles (os permissionários) se instalarem. Eles pediram alguns dias para começar a trabalhar, então o local deve estar aberto para o público no dia 19”, explica.

Canal 6

Em consequência da permanência de um permissionário no Canal 6 além do tempo estabelecido pela Prefeitura de Santos, as obras nos quiosques do local também sofreram atraso.

O prazo estipulado por Nilson, na semana passada, era a entrega das estruturas prontas após o Natal, dia 25 de dezembro. No entanto, com a permanência do quiosqueiro, o Canal 6 deve começar a ser frequentado pela população só depois da 1ª quinzena de janeiro.

O secretário prevê o aumento no custo total das obras de R$ 1, 4 milhão. O valor inicial de gastos com a remodelação dos quiosques era de R$ 11,2 milhões.

Quiosques remodelados aguardam colocação de telhado. Na manhã de ontem, trator ainda trabalhava no local (Foto: Matheus Tagé/DL)
Espaço para deficientes a partir do Canal 3

Na última semana, uma polêmica em relação à construção dos novos quiosques tomou conta das redes sociais. No Facebook e Twitter, internautas criticavam o planejamento da remodelação do Canal 2, já inaugurado, por não possuir espaço para acomodar deficientes físicos.

A acessibilidade ao local é feita por meio de rampas, mas cadeirantes não têm a opção de se acomodar junto às mesas de concreto construídas pela Prefeitura, já que as quatro extremidades são ocupadas por bancos também de concreto, sem disponibilidade de espaço para deficientes.

O secretário Nilson Barreiro reconhece o equívoco da Administração Municipal na arquitetura do projeto e afirma que já no Canal 3, onde os próximos quiosques remodelados começam a funcionar, a cada seis mesas de concreto, uma terá apenas dois bancos, com espaço para a acomodação de cadeira de rodas.

 

Colunas

Contraponto