Novo plano de mobilidade urbana pode fazer Itanhaém avançar mais

O projeto é a reativação do ramal férreo, que abre janela de oportunidade de utilização dos trilhos para a mobilidade urbana e atrativos turísticos

Comentar
Compartilhar
23 AGO 2018Por Da Reportagem11h42
O estado de São Paulo possui a malha ferroviária mais avançada do país, entretanto, necessita de investimentos, principalmente no que tange à revitalizaçãoO estado de São Paulo possui a malha ferroviária mais avançada do país, entretanto, necessita de investimentos, principalmente no que tange à revitalizaçãoFoto: Divulgação

Planos de uso da linha férrea que cruzam as cidades que compõem o Litoral Sul á região central da Baixada Santista para o transporte de massa são debatidos desde a desativação do Trem Intrametropolitano (TIM), no fim da década de 1990, mas as propostas não foram viáveis pelo custo do projeto e da posse para o empreendimento. Entretanto, nos últimos meses, tem-se discutido a expansão do modal VLT, Veículo Leve sobre Trilhos, na antiga malha que seria outra opção ao invés do transporte público rodoviário, que, com certas dificuldades atende a grande demanda de viagens intermunicipais devido a quantidade populacional.

A atual concessionária realizou uma pesquisa que identifica inviabilidades técnicas, econômicas e ambientais para reativar o ramal para o transporte de carga aos moldes do atual contrato, e colocou-se à disposição para auxiliar nos estudos técnicos e na viabilização da melhor solução escolhida, uma vez que propõe devolver o trecho de 213 quilômetros ao Governo Federal, e criar um fundo compensatório, de cerca de R$ 200 milhões para os Municípios.

Alguns encontros já aconteceram entre prefeitos das cidades, parlamentares e representantes da atual concessionária do trecho onde passa a linha férrea, a Rumo Logística, para discutir o assunto, e novas outras reuniões irão definir o melhor formato de uso do espaço. Técnicos de cada uma das cidades estudam os locais de utilização da área.

O estado de São Paulo possui a malha ferroviária mais avançada do país, entretanto, necessita de investimentos, principalmente no que tange à revitalização. A consequência da situação atual da linha é a dificuldade no desenvolvimento regional pela falta de mobilidade urbana, por isso, o plano é reativá-la nas modalidades de transporte público, e turismo até o Vale do Ribeira.

ITANHAÉM 

A Cidade está comprometida em colaborar no projeto, e um dos primeiros passos é o estudo da vocação local, isso porque, com a reativação do ramal férreo, abre-se janela de oportunidade de utilização dos trilhos para a mobilidade urbana e atrativos turísticos por toda a extensão da linha que cruza por todo o Município, inclusive, próximo a pontos de valores culturais e turísticos como o Centro Histórico e a Boca da Barra. A acessibilidade aos extremos e entre bairros e Centro também será facilitada, além do fato de que maior comodidade no transporte intermunicipal estará sendo proporcionado aos munícipes.