No Guarujá, obras no Cantagalo avançam para a segunda etapa

Intervenções incluem redes de água e esgoto, drenagem, pavimentação e iluminação pública

Comentar
Compartilhar
04 JUN 2019Por Da Reportagem12h25
As obras no Cantagalo integram o Projeto EnseadaFoto: Helder Lima/PMG

A Prefeitura de Guarujá dá início à segunda fase das obras de infraestrutura e urbanização, beneficiando o assentamento Cantagalo, na região da Enseada, em Guarujá. Nesta etapa serão investidos pouco mais de R$ 36,7 milhões somente em infraestrutura, financiados por meio do Programa de Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa).

As obras no Cantagalo integram o Projeto Enseada, desenvolvido com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento 2 (PAC 2) e de contrapartida municipal, e tem parceria do Ministério das Cidades, por meio do Programa Minha Casa Minha Vida (MCMV), da Secretaria de Estado da Habitação (CDHU e Casa Paulista) e Prefeitura de Guarujá, via Secretaria de Habitação (Sehab).

Nesta etapa, as intervenções incluem redes de água e esgoto, drenagem, pavimentação e iluminação pública. Nessa fase também está prevista a construção de mais 240 unidades habitacionais – de um total de 1.060 moradias contempladas pelo Projeto Enseada.

Na primeira etapa foram construídas e entregues 400 unidades. Já a terceira e última fase estará concluída no ano de 2020, e prevê infraestrutura para mais 420 unidades habitacionais

Vale ressaltar que os investimentos na comunidade Cantagalo serão somente em infraestrutura. A produção habitacional é custeada pelo Programa Minha Casa Minha Vida.

O dinheiro investido nesta segunda fase do Cantagalo integra um pacote de recursos no valor de pouco mais de R$ 63,19 milhões financiados pelo Finisa. Parte dos R$ 63 milhões, ou seja, cerca de R$ 26.47 milhões vai atender, com obras de infraestrutura urbana e produção habitacional, o Parque da Montanha (em andamento), que integra a terceira etapa do Projeto Favela Porto Cidade, executado com recursos do PAC1; e também para a produção habitacional no Jardim Porto Bello (também PAC 1), cujo projeto já foi aprovado, faltando apenas licitar.

Cantagalo

As unidades beneficiam famílias removidas do próprio Cantagalo e outras da Vila Baiana, cadastradas no programa de locação social da Sehab. Em junho do ano passado, o prefeito Válter Suman entregou as chaves das primeiras 400 unidades.

Na oportunidade ele ressaltava que o ato simbolizava mudança de vida àquelas famílias. "Nosso governo colocou a habitação como uma prioridade, junto com a saúde e educação, porque é a partir do lar que tudo começa. Obra importante é aquela que muda a vida das pessoas para melhor", comemorava.

Para o secretário municipal de Habitação, Marcelo Mariano, a sequencia da obra do Cantagalo comprova que habitação é um dos pilares da administração do prefeito Valter Suman. "O trabalho vence sempre, cuidando da Cidade e das pessoas, comemora o titular da Sehab.

PHLIS

De acordo com dados do último Plano Local de Habitação de Interesse Social (PHLIS), há 58 assentamentos (núcleos informais) em Guarujá, com déficit habitacional de 33.263 unidades. Dessas, 11.611 apresentam necessidade de remoção e 21.652 são consolidáveis, ou seja, necessitam de obras de infraestrutura e regularização fundiária.

Os dados do PHLIS são do ano de 2009. A Prefeitura está pleiteando junto à Agência Metropolitana de Desenvolvimento (Agem) a atualização do plano no âmbito da Câmara Temática de Habitação.

Colunas

Contraponto