Nepal fecha aeroporto para grandes aviões e total de mortos supera 7 mil

O total de mortos subiu para 7,057 mil, incluindo seis estrangeiros e 45 nepaleses encontrados neste final de semana numa popular trilha de caminhada

Comentar
Compartilhar
03 MAI 201512h46

Danos na pista forçaram autoridades a fechar o principal aeroporto do Nepal neste domingo e impedir a aterrissagem de grandes aeronaves que levam ajuda às vítimas do terremoto no país. Apesar disso, oficiais das Nações Unidas disseram que a situação logística em geral estava melhorando.

O total de mortos subiu para 7,057 mil, incluindo seis estrangeiros e 45 nepaleses encontrados neste final de semana numa popular trilha de caminhada. As vítimas incluíam um francês um indiano e quatro outros estrangeiros, além de guias, donos de hotel e trabalhadores nepaleses.

A principal pista do aeroporto foi fechada temporariamente para grandes aviões por conta de danos. Ela foi construída para receber apenas jatos de tamanho médio, mas não grandes aeronaves militares e de carga. Há relatos de rachaduras na pista e outros problemas neste que é o único aeroporto capaz de receber jatos.

Apesar do problema, o coordenador da Organização das Nações Unidas (ONU) no Nepal, Jamie McGoldrick, disse que os gargalos na chegada de ajuda estavam lentamente desaparecendo.

Oficiais das Nações Unidas disseram que a situação logística em geral estava melhorando (Foto: Palani Mohan/British Red Cross)

"Acredito que existe o problema, mas ele está diminuindo", afirmou, acrescentando que o governo nepalês reduziu impedimentos burocráticos para a chegada de ajuda depois de reclamações da ONU.

As restrições no aeroporto são apenas a mais recente das complicações nos esforços globais para levar ajuda às vítimas do terremoto do dia 25 de abril, o maior e mais destruidor das últimas oito décadas no país.

As pessoas no Nepal, tanto em vilarejos remotos como na capital Katmandu, reclamam de não encontrarem trabalhadores de resgate ou ajuda internacional e lamentam a falta de abrigos temporários.

O governo disse no domingo que a expectativa de encontrar novos sobreviventes do terremoto diminuiu dramaticamente. "A menos que estejam em uma bolha de ar, é uma possibilidade bastante remota" afirmou um oficial do Ministério do Interior, Laxi