Nebulização contra o Aedes aegypti atinge 268 imóveis no Macuco

Neste ano, o bairro já registrou dois casos de chikungunya, doença transmitida pelo mosquito, que também é vetor de dengue, zika e febre amarela urbana

Comentar
Compartilhar
23 FEV 2021Por Da Reportagem21h30
O inseticida foi aplicado em 13 quadrasFoto: Divulgação/PMS

Realizada na segunda-feira (22) e nesta terça-feira (23), a nebulização para combater o mosquito Aedes aegypti no Macuco resultou na aplicação de inseticida em 268 imóveis, incluindo as escolas Auxiliadora da Instrução e Elsa Virtuoso e o pátio de sucatas do Porto de Santos. Neste ano, o bairro já registrou dois casos de chikungunya, doença transmitida pelo mosquito, que também é vetor de dengue, zika e febre amarela urbana.

O inseticida foi aplicado em 13 quadras, no trecho compreendido pela Travessa Particular Rinaldi, pelas ruas Bezerra de Menezes, Irmãos Gondulpho e Japão e pela Avenida Almirante Cóchrane.

No sábado (20), a equipe de Informação, Educação e Comunicação (IEC) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) esteve no bairro orientando os moradores. A principal recomendação foi a saída das residências por 30 minutos a partir da aplicação do inseticida, além de deixar portas e janelas abertas.

Controle

"A ação destes dois dias só terá eficácia se os moradores controlarem os focos com larvas do mosquito, evitando água parada, especialmente em vasos com plantas e ralos", destaca a chefe técnica da Seção de Controle de Vetores, Ana Paula Favoreto. O número de imóveis que receberam a ação foi considerado satisfatório. "Há várias residências desocupadas e também as recusas por parte dos moradores".

Outros bairros

Além do Macuco, este ano já foram feitas nebulizações contra o Aedes aegypti no Estuário e na Ponta da Praia. O Rádio Clube deve ser o próximo bairro a receber a aplicação do inseticida.