Mutuários da Vila Santa Casa recebem as chaves hoje

Serão contempladas 16 famílias da favela da Vila Santa Casa e 14 servidores municipais

Comentar
Compartilhar
05 MAR 201321h21

Mutuários do Conjunto Habitacional da Vila Santa Casa recebem neste sábado, às 10 horas, as chaves dos apartamentos. O edifício com 30 moradias foi construído pela Cohab Santista em parceria com a Cooperativa Habitacional dos Servidores Públicos, que cedeu o terreno.

As famílias da favela da Vila Santa Casa que serão contempladas nesta terceira etapa do programa habitacional da Prefeitura para a Vila Santa Casa, terão subsidiados 40% do valor do apartamento. O subsídio concedido pela Cohab, foi aprovado pelo Conselho Municipal de Habitação, na última terça-feira, em reunião ordinária.

Segundo o diretor-presidente em exercício da Cohab Santista, Jeferson Novelli de Oliveira, o subsídio atende ao pedido das famílias que alegaram não poder arcar com o valor inicial do imóvel de R$ 42 mil. “Com o subsídio, o valor do apartamento cai para R$ 26.413,00. O valor de cada parcela cai de R$ 260 para R$ 152. Nesse valor está incluído o seguro”, explicou Novelli. As unidades serão financiadas em até 266 meses, ou seja, 22 anos.

Orçado em R$ 1,1 milhão, o empreendimento foi totalmente custeado com recursos do Fundo municipal de Incentivo à Construção de Habitação Popular (Fincap). Com o abandono das obras pela empreiteira Till Engenharia por motivos financeiros, os trabalhos acabaram sendo concluídos pela própria Cohab.   

Das 30 habitações, 16 são destinadas às famílias da favela e 14, aos associados da cooperativa. Contudo, Novelli esclareceu que os servidores não terão direito ao subsídio.

Conforme Novelli, ao todo foram cadastradas pela Cohab, 99 famílias da Vila Santa Casa, mas segundo a presidente da Associação de Moradores, Aldenora Maria de Jesus, o número pode chegar a 200 porque as invasões continuam.

Mas para Aldenora, que é uma das beneficiadas, a comunidade teve duas conquistas: os apartamentos e a redução de 40%. “A nossa luta é uma luta de mais de 15 anos e agora conseguimos. Muitas famílias já conseguiram e espero que as outras sejam beneficiadas com as outras moradias que serão entregues”, disse ela se referindo às 80 habitações que já estão previstas pela Cohab. Serão quatro edifícios com 20 apartamentos cada que serão construídos entre a Rua Senador Feijó e a avenida Washington Luiz.

Famílias que moram há mais de 30 anos na favela e que estão cadastradas esperam ser sorteadas no próximo empreendimento. É o caso da aposentada, Isaura da Silva, “Eu não vejo a hora de ter meu apartamento porque tive muito gasto com a reforma da casa”, afirmou mostrando as paredes de alvenaria explicando que o barraco estava caindo.

O mesmo sonho é compartilhado pelo vizinho, o carpinteiro Renato Ferreira da Silva. “Moro aqui há 32 anos. Espero que o apartamento venha. Eu já estou velho, mas se eu for sorteado vou passar o apartamento para o meu filho que mora comigo e já tem família”.