X

Cotidiano

Mutirão de consultas de fisioterapia atende mais de 700 pacientes

Pessoas atendidas serão encaminhadas para realização de tratamento ainda neste mês

Da Reportagem

Publicado em 11/02/2017 às 11:30

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

700 pacientes foram atendidos em cinco dias de atividades / Divulgação/PMPG

O Mutirão multidisciplinar de consultas de fisioterapia no Centro Especializado em Reabilitação (CER) Joanna Imparato atendeu mais de 700 pacientes em cinco dias de atividades. O encerramento dos trabalhos ocorreu nesta sexta-feira (10). Os atendidos já serão encaminhados para realização de tratamento na unidade, processo que terá início ainda neste mês e nos primeiros dias de março, e também para equipamentos públicos, como as Academias de Saúde.

A Secretaria de Saúde Pública (Sesap) de Praia Grande, que organizou a ação, contou com a participação do Núcleo de Apoio a Saúde da Família (NASF). A iniciativa tem como meta principal agilizar os atendimentos e desta forma equacionar as demandas reprimidas do setor de Especialidades Médicas. A medida já vinha sendo adotada no Centro de Especialidades Médicas, Ambulatorial e Social (Cemas).

O corpo técnico do CER preparou um esquema especial para o período em que o mutirão foi realizado e que contou com mais de 20 profissionais. A equipe multidisciplinar foi composta por fisioterapeutas, fonoaudiólogos, assistentes sociais e psicólogos.

O número de pacientes atendidos poderia ter sido ainda maior. Das 1.500 pessoas cadastradas inicialmente pela Sesap, após contato inicial e avaliação, foram agendadas 912. Deste total, cerca de 20% não compareceram ao mutirão. Esta postura vem ocorrendo ao longo dos últimos anos. A Cidade tem sofrido com o desperdício de consultas e exames por conta do alto índice de absenteísmo.

Outro destaque do mutirão no CER é que os pacientes também serão encaminhados para equipamentos públicos como as Academias de Saúde, as unidades do Programa de Integração e Cidadania (PICs), do Centro de Apoio à Família do Educando (CAFE) e Conviver. Esses espaços oferecem gratuitamente atividades físicas e de convivência consideradas fundamentais para uma evolução no tratamento.

“Trata-se de um projeto de descentralização e matriciamento para avaliação de pacientes com dor crônica. Neste processo, a estrutura disponível no CER tem papel importante”, comentou uma das responsáveis pela Divisão de Especialidades da Sesap, Cibele Picini.

Os pacientes elogiaram a iniciativa e se mostraram motivados pela possibilidade do começo do tratamento em breve. “Estou animado pela forma com que foi realizado o atendimento. Tenho bursite e tendinite no ombro e joelhos. A unidade dispõe de estrutura de sobra para que possa fazer o tratamento que preciso”, disse o técnico em elétrica, André Luiz Andrade Muniz, residente no loteamento Parque das Américas, sediado no Bairro Samambaia.

Além da estrutura da unidade, o carinhoso atendimento dos médicos e profissionais do CER também mereceu elogios dos pacientes.

“O doutor Leandro foi muito atencioso, ‘gente fina’. O atendimento foi rápido, não demorei nada. Após o carnaval já inicio a fisioterapia. Tenho polineuropatia, doença que dá nos nervos. Estou feliz e estou com a expectativa de melhorar em pouco tempo”, contou José Carlos Rodrigues Santana, morador do Bairro Quietude e que estava acompanhado da mulher, Maria Francisca de Souza. A filha do casal, Alessandra Souza Santana Couto, deixou a unidade emocionada após o êxito em todo processo.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Variedades

'Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban' será reexibido nos cinemas; saiba quando

Terceiro capítulo da franquia já teve uma reexibição no último dia 04

Nacional

Radares 'caçadores' de carros roubados já funcionam no Brasil; saiba onde

Os primeiros testes já foram realizados

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter