Multidão protesta após morte de líder opositor tunisiano

Manifestantes se reuniram do lado de fora do prédio do Ministério do Interior, no centro de Túnis.

Comentar
Compartilhar
06 FEV 201312h05

Uma multidão de manifestantes se reuniu do lado de fora do prédio do Ministério do Interior, no centro de Túnis, nesta quarta-feira (6), para condenar o assassinato do líder opositor Chokri Belaid, relataram jornalistas da agência France Presse.

Pelo menos 1.000 pessoas gritavam palavras de ordem contra o Ennahda, o partido islamita que está no poder, e cantaram o hino nacional do lado de fora do Ministério, que fica na avenida Habib Bourguiba, epicentro do levante de 2011 que derrubou o ex-ditador Zine El Abidine Ben Ali.

A morte do líder fez com que o presidente Moncef Marzouki cancelasse sua participação na cúpula da Organização da Conferência Islâmica no Cairo. Ele está voltando para a Tunísia por causa do assassinato, informou a presidência na quarta-feira "Ele retorna no começo desta tarde. Já está decidido", disse o conselheiro presidencial Ghassen Dridi, à agência France Presse por telefone.

Chokri Belaid era o líder da oposição tunisiana (Foto: Reprodução)

França

O governo da França condenou, nesta quarta-feira (6), o assassinato de Belaid e o descreveu como um corajoso combatente pelos direitos humanos.

"Este assassinato tira da Tunísia uma de suas vozes mais corajosas e livres", declarou o presidente François Hollande horas depois Belaid ter sido morto a tiros ao sair de sua casa.

Asilo

O governo das ilhas Seychelles informou nesta quarta-feira que o genro do ex-ditador Zine El Abidine Ben Ali pediu asilo ao país insular.

"O governo de Seychelles deseja confirmar o recebimento de um pedido de asilo que foi apresentado ao Ministério de Assuntos Domésticos pelo tunisiano Sakhr El Matri, que está atualmente no país", declarou o ministério de Relações Exteriores em comunicado. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.