Mulheres conquistam autonomia e renda com Lavanderia Comunitária

A lavanderia atende a uma demanda de 2,5 mil peças por mês, o que gera uma renda entre um e dois salários mínimos para cada trabalhadora

Comentar
Compartilhar
07 MAR 201320h42

A data de 8 de março, quando é celebrado o Dia Internacional da Mulher, dá nome a um equipamento que há pouco mais de quatro anos ajuda a transformar a vida de mulheres que estavam em situação de vulnerabilidade social. Trata-se da Lavanderia Comunitária 8 de Março, programa pelo qual a prefeitura capacita e oferece oportunidade de geração de renda a dez munícipes.

No espaço elas trabalham em sistema semelhante a uma cooperativa. “Elas chegaram encaminhadas por assistentes sociais, fizeram cursos, se capacitaram e apostaram no trabalho coletivo. Hoje estão aptas a administrar uma lavanderia”, afirma Marcia Silveira Farah Reis, chefe da seção responsável na Secretaria de Assistência Social.

A lavanderia atende a uma demanda de 2,5 mil peças por mês, o que gera uma renda entre um e dois salários mínimos para cada trabalhadora. A prefeitura investe cerca de R$ 4 mil mensais para despesas como aluguel, água, telefone e energia elétrica. O atendimento é de segunda a sexta, das 8h às 17h, na rua Amador Bueno, 309.

A lavanderia atende a uma demanda de 2,5 mil peças por mês (Foto: Divulgação)

Transformações

Iracema Maria da Silva, moradora do morro Pacheco, 57 anos, trabalha no espaço há quatro. “Estava desempregada, apenas fazendo bicos; aqui foi um recomeço, mostrei o quanto posso ser útil e minha autoestima aumentou”, garante ela.

Roselaine Nascimento da Silva, 38 anos, e seis filhos, também está satisfeita. “Era diarista e nem todas as semanas tinha trabalho. Minha meta é reformar a minha casa e voltar a estudar".