Motoristas da Piracicabana decidem entrar em greve na próxima quarta

Decisão ocorreu em assembleia realizada ontem à noite. Empresa retirou proposta salarial

Comentar
Compartilhar
14 JUN 201400h52

Os motoristas e demais empregados da Viação Piracicabana vão entrar em greve, a partir da próxima quarta-feira, paralisando o transporte coletivo em Santos, São Vicente, Cubatão e Praia Grande. A decisão foi tomada ontem à noite, em assembleia realizada no Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Santos.

A categoria foi informada pelo sindicato, de que a Piracicabana, que antes havia feito proposta de reajuste salarial de 8%, havia recuado desta decisão, e retirado a proposta.

Dezenas de motoristas, que já estavam em estado de greve, ficaram revoltados com a situação e foram informados ainda que a viação havia obtido ontem à tarde uma liminar no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo, garantindo o funcionamento de parte da frota, observando a lei de greve, por envolver serviço essencial à população.

Com isso, caso a greve seja mantida, o sindicato terá que manter um percentual da frota em funciona- mento.Na própria quarta-feira à tarde, haverá uma audiência de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho, em São Paulo.

Motoristas vão cruzar os braços por melhores salários na quarta-feira (Foto: Matheus Tagé/DL)

Manifestação

Na próxima segunda-feira, a partir das 10 horas, os motoristas vão realizar um ato público na Praça Mauá, seguido de manifestações pelo Centro de Santos.

O estado de greve foi decretado na sexta-feira passada, dia 6, com base na Lei de Greve( 7783/89). O impasse naquela ocasião estava apenas no valor do vale-refeição. Os motoristas reivindicavam R$ 16,00, enquanto a Viação oferecia R$ 14,00.

A proposta salarial foi de reajuste de 8% nos salários, percentual que havia sido aceito pela categoria.

A reunião de ontem, foi na sede do sindicato, na Avenida Conselheiro Nébias, 262, Santos. Começou às 19h e foi encerrada, em meio à revolta geral, pouco mais das 20 horas.

O vice do sindicato José Alberto Torres Simões, Betinho, informou aos associados, que a categoria deve manter a mesma mobilização, para sensibilizar a empresa a conceder o reajuste e também os valores atualizados no vale-refeição. Enquanto os funcionários estiveram fazendo a manifestação, na próxima segunda- feira, a diretoria do sindicato vai se reunir com o prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), para expor a situação e pedir sua interferência, uma vez que a greve vai afetar a população de Santos.