Mortes por onda de calor na Índia passam de 1.400 e população lota rios

Autoridades meteorológicas disseram que o calor provavelmente deve continuar por muitos mais dias

Comentar
Compartilhar
28 MAI 201512h49

As autoridades na Índia têm alertado a população a ficar o máximo possível longe do sol, cobrir a cabeça e beber muita água em meio a uma forte onda de calor que o país tem enfrentado, onde já morreram mais de 1.400 pessoas. Nesta quinta-feira, indianos lotavam os rios para se refrescar, mas diante da alta pobreza, muitos têm sido forçados a trabalhar, mesmo com as altas temperaturas.

Autoridades meteorológicas disseram que o calor provavelmente deve continuar por muitos dias. O calor tem deformado o asfalto, queimado colheitas e tem colocado a vida das pessoas que trabalham ao ar livre em risco.

"Ou trabalhamos e colocamos nossa vida em risco ou ficamos sem comida", disse Narasimha, agricultor no distrito de Nalgonda, no estado de Andhra Pradesh.

A maior parte das 1.412 mortes relacionadas ao calor até agora ocorreram no estado de Andhra Pradesh e em Telangana, onde as temperaturas chegaram a atingir 48ºC, a maior temperatura em 67 anos.

Entre os mais vulneráveis, estão os idosos e os mais pobres, muitos dos quais vivem em

favelas ou cabanas em fazendas, sem acesso a aparelhos de ar condicionado ou às vezes até mesmo sem a sombra das árvores.

Nas escolas, os professores têm mantido as crianças durante os intervalos dentro das salas de aulas que possuem ar-condicionado. Chuvas são esperadas apenas para a próxima semana.

Leia também:

Onda de calor intenso provoca mais de mil mortes na Índia