Moradores sofrem com vazamento de água em rua de Itanhaém

Obras de drenagem se iniciaram na manhã de ontem, no bairro Vila São Paulo. Vazamento acontece desde abril

Comentar
Compartilhar
11 JUL 2019Por Nayara Martins07h20
Uma placa no local avisa sobre os perigos que o buraco pode causar, como um acidente ou uma contaminaçãoFoto: Nayara Martins/DL

Um vazamento de água na via pública vem causando preocupação aos moradores da rua Afonso Meira Júnior, no bairro Vila São Paulo, em Itanhaém, desde o mês de abril. Moradores já acionaram a prefeitura e a Sabesp, mas até o momento, não houve uma solução para o problema.

Entre as principais reclamações dos moradores está a água que corre sem parar no local, o que pode se tornar um criadouro do mosquito da dengue, além do buraco causado pelo vazamento. E ainda o risco de ocorrer algum acidente, principalmente à noite, com os veículos que transitam na rua.

Um armário velho e duas placas já foram colocados no buraco. Uma delas tem o seguinte aviso: "Cuidado buraco e água com risco de contaminação. Não tire a placa baba ovo".

A moradora e comerciante Ana Simões Fernandes, 56 anos, que reside em frente ao vazamento, explicou que já deu entrada em um requerimento, no início do mês de junho, na secretaria de Serviços e Urbanização, pedindo uma solução. Há mais de 40 anos que a sua família mora nesta residência e nunca havia passado por uma situação semelhante.

Conforme a moradora, a prefeitura respondeu que trata-se de uma galeria antiga e desativada de águas pluviais e que devido as obras de esgoto sanitário da Sabesp, alguns moradores ligavam suas águas nesta rede. Ainda segundo a prefeitura, devido a esses problemas nas antigas galerias ocorrem infiltrações e que acabam minando água na via.

"A secretaria de Serviços e Urbanização se comprometeu a instalar uma nova galeria de águas pluviais, afirmando que as obras iriam começar em junho, mas até o momento, nada fizeram", desabafou.

Para o morador e aposentado Jacques Azimonte, 66 anos, o problema de vazamento de água ocorreu devido a algumas residências ainda estarem ligadas à antiga rede de águas pluviais. Com a instalação da rede de esgoto da Sabesp, alguns moradores continuaram ligados nesta mesma rede, causando o vazamento, conforme o morador.

"Já reclamamos sobre o vazamento também com o vereador João Rossmann (MDB), que disse que já tinha falado com a prefeitura. Segundo o vereador, a Administração prometeu no mês de maio que a obra da nova galeria de águas pluviais teria início até o final de junho", completou.

EQUIPES DA SABESP.

Duas equipes da Sabesp, no início de maio, compareceram na rua para verificar o que estava causando o problema. Segundo os funcionários, não foi detectado nenhum dano na rede de esgoto ou na rede de água da rua.

No dia 8 de maio, uma equipe da secretaria de Serviços e Urbanização da prefeitura esteve no local, com um caminhão Hidra Jato. Os funcionários realizaram uma dragagem da água e fecharam o buraco com alguns bloquetes. O problema, segundo eles, ocorreu devido à antiga tubulação da rede pluvial que está comprometida.

Já no dia 10 de maio, uma equipe da Sabesp retornou ao local e desfez o serviço que a prefeitura havia feito - uma ligação da rede pluvial na tubulação da rede de esgoto da Sabesp, o que, segundo os funcionários da estatal, foi realizado de forma irregular.

OUTRO LADO.

A reportagem fez contato com a Prefeitura para saber qual a posição sobre o problema.

Conforme informações da secretaria municipal de Serviços e Urbanização foram iniciadas as obras de drenagem na manhã de ontem (10), na rua Imperatriz Leopoldina, mas que as tubulações também se estenderão até as ruas Afonso Meira Júnior e André Ruzsicska, no bairro Vila São Paulo. (Nayara Martins)

 

Colunas

Contraponto