Moradores reclamam de mau cheiro nas imediações do Emissário

De acordo com a proprietária de uma loja próxima ao local, o problema acontece há anos

Comentar
Compartilhar
07 SET 2018Por Vanessa Pimentel09h00
Populares reclamam de um forte cheiro de esgotoPopulares reclamam de um forte cheiro de esgotoFoto: Paolo Perillo/DL

Pessoas que moram no entorno do Emissário Submarino, na divisa entre Santos e São Vicente, no bairro José Menino, reclamam de um forte cheiro de esgoto que invade a região, principalmente após as 21 horas.

De acordo com Jéssica Machado, proprietária de uma loja próxima ao local, o problema acontece há anos, mas nos últimos dois meses, a frequência aumentou.

“Durante o dia o cheiro diminui e quando aparece é bem menos se comparado à noite. Também moro por aqui e antes das nove e meia, já fecho as janelas porque fica muito forte”, explica.

Ela acredita que o odor vem do Parque Municipal Roberto Mário Santini, já que a estrutura subterrânea dele tem como função transportar o material disposto na Estação de Precondicionamento de Esgoto de Santos (EPC), até o alto-mar.

No próprio Parque existe uma espécie de reservatório de concreto onde, basta passar perto, é possível sentir um cheiro ruim.  

Felipe, funcionário de um hotel na região informou que o odor também pode ser sentido durante a tarde, em determinados horários.

“Acho que o cheiro sobe quando o esgoto é liberado da estação e passa pelo encanamento instalado aqui embaixo”.

Sabesp

A assessoria da Sabesp respondeu que o caso apontado não está relacionado ao emissário submarino, que está submerso.

“Este equipamento é responsável pela difusão do efluente em alto mar, a 4,5 km da costa, após passar pelos devidos processos de tratamento”.

Ainda segundo a assessoria, técnicos da companhia farão vistorias nas redes coletoras do bairro para identificar a origem dos relatos dos ­moradores.

Função do Emissário

O Emissário Submarino de Santos existe há 40 anos e pertence à Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

O equipamento foi inaugurado em 1978 e implantado a 12 metros de profundidade com a finalidade de lançar os esgotos sanitários das cidades de Santos e São Vicente em alto-mar, após passarem pelo devido tratamento. Antes, os rejeitos destes municípios eram encaminhados pala lançamento no Canto do Forte Itaipu, em Praia Grande.

A tubulação de 1,75 metro de diâmetro, inicialmente, tinha quatro quilômetros de extensão, permitindo, assim, que as correntes marítimas afastassem os dejetos da orla da praia. Em 2009, o emissário foi ampliado com e recebeu 425 metros de dutos.