Moradores encontram jiboia mais rara do mundo

De acordo com os pesquisadores, o animal é uma fêmea adulta, de 1,35 metro de comprimento e 1,2 kg

Comentar
Compartilhar
25 NOV 2020Por Gazeta de S. Paulo20h36
Cobra está em um terrário e será mantida em cativeiro para exames e estudosFoto: Reprodução/Acervo Fundação Florestal

A “Jiboia do Ribeira” (corallus cropanii), espécie considerada a mais rara do mundo por especialistas, foi encontrada viva por moradores de Sete Barra, no Vale do Ribeira. Em 2017, outra jiboia da mesma espécie foi encontrada no município.

As duas cobras encontradas na cidade foram capturadas graças a um projeto de educação e conservação ambiental realizado desde 2016. O animal foi encontrado pelos moradores Paulo Vinicius Teixeira, Wilian Daniel Martins, Bernardo Alves dos Santos e Virgílio Gomes, que foram contatados pelos guardas do Parque Estadual Intervales.

De acordo com os pesquisadores, o animal é uma fêmea adulta, de 1,35 metro de comprimento e 1,2 kg.

"Ela está em um terrário e será mantida em cativeiro para exames e estudos. Depois, vai ser solta na natureza com um aparelho de telemetria para mostrar seu caminho, que dura um tempo, cerca de quatro meses", explica o biólogo Bruno Rocha, de 33 anos, pesquisador do Butantan e coordenador do Projeto Jiboia do Ribeira, junto com a pesquisadora Daniela Gennari à “TV Globo”.

Esta espécie foi avistada pela primeira vez há mais de 60 anos em Miracatu, também no Vale do Ribeira.

Segundo o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), corralus cropanii é a espécie da jiboia mais rara do mundo. A cobra foi descrita em 1953 pelo herpetólogo Alphonse Richard Hoge, do Instituto Butantan.