Moradores do Monte Serrat clamam por segurança pública

Eles reclamam que prédios públicos são invadidos, equipamentos são furtados e atos obscenos são cometidos próximos das escadarias

Comentar
Compartilhar
16 SET 2020Por Carlos Ratton07h15
Há relatos até de um homem que mostrou a genitália para uma moça moradora, na subida do morroFoto: Nair Bueno/DL

Moradores do Monte Serrat reclamam que prédios públicos são invadidos, equipamentos são furtados e atos obscenos são cometidos próximos das escadarias. Cerca de três mil famílias moram no local. Há relatos até de um homem que mostrou a genitália para uma moça moradora, na subida do morro, o que pode caracterizar até mesmo crime de importunação sexual. Isso ocorreu a 10 metros do Palácio da Polícia. Crianças e jovens, principalmente as que fazem faculdade à noite, estão apavoradas.

Segundo a secretária da Sociedade de Melhoramentos do Monte Serrat, Simone Carolino Rodrigues, desde as chuvas de março último, quando a sede do Departamento de Administração da Zona da Orla e Intermediária (DEAR-ZOI) foi atingida por deslizamentos, materiais e equipamentos vêm sendo furtados constantemente. O mesmo acontece no prédio da Policlínica do local - Praça Corrêa de Melo, 42 - envolvendo os fios de energia.

"Ainda não entraram por sorte. O equipamento ficou sem ar-condicionado e também estamos desde abril sem sala de vacina por falta de energia. Gestantes e crianças sem vacinas. A fiação foi recuperada, mas após o último feriado, furtaram novamente. Apesar de serem prédios públicos, não há guardas municipais fixos, só equipes de ronda", afirma Simone Rodrigues.

Vale lembrar que tanto a DEAR-ZOI como a policlínica ficam em frente ao Palácio da Polícia e do 1º Distrito Policial, meia quadra da Escola Estadual Barnabé e uma quadra da Estação de embarque dos bondinhos. O Prédio do DEAR-ZOI está abandonado e dá acesso à policlínica.

"Já fizemos vários pedidos de instalação de câmeras de monitoramento de segurança e a resposta foi que não é uma via de grande circulação de pessoas e veículos. Qualquer momento, vão surpreender um marginal dentro da policlínica. Há furtos constantes de baterias de carros. Já furtaram fios de energia até da Barnabé", completa.

Felipe Pereira garante que à noite a situação piora. "Minha namorada estava descendo e, quando chegou na rua, um homem saiu de um veículo e mostrou o pênis. Ela voltou para casa apavorada. As mulheres estão com medo de sair de casa, dependendo do horário. A iluminação da rua é péssima e já pedimos para melhorar", explica. Informando que muitos estudantes moram no Monte Serrat.

"Já chamamos a PM que afirma que é um problema da Guarda Municipal por que os furtos são em prédios públicos. Já a Guarda, por sua vez, afirma que a questão é de segurança pública, portanto, um problema do Estado", finaliza.

Estado e prefeitura

Em nota, a Polícia Militar informa que o local conta com policiamento de viatura 24 horas por dia, todos os dias da semana, ainda com apoio da viatura rondante, equipe de motos e viatura de apoio.

"A escadaria e a praça ficam atrás da Polícia Civil e, devido a apresentação de ocorrências, aumenta ainda mais o fluxo de viaturas no local", explica nota, completando que, somente no mês de agosto na Baixada efetuou 5.660 abordagens, sendo verificados 405 automóveis, 641 motocicletas, 589 bicicletas, sendo presos em flagrante delito 52 marginais, havendo 27 flagrantes.

A Secretaria de Segurança informa que Guarda Civil vai intensificar o patrulhamento na área, que conta com câmeras de segurança monitoradas pelo Centro de Controle Operacional (CCO).