Moradores da Prainha comemoram a entrega das 76 moradias

Além das unidades habitacionais, 94 títulos de moradias foram concedidos na área consolidada do bairro

Comentar
Compartilhar
08 SET 201415h17

A Prefeitura de Guarujá teve um grande avanço na política habitacional da Cidade. Foram entregues na manhã desta sexta-feira (5), 76 moradias no bairro Prainha, em Vicente de Carvalho. A emoção e sensação de realização deram o tom à cerimônia de entrega, que aconteceu na mesma área onde estão as novas casas, na Rua Projetada s/nº.

“Habitação é uma das nossas prioridades. Não podemos permitir que uma família não tenha um teto. A moradia é a segurança de termos uma vida mais digna. Queremos que nossas crianças tenham orgulho de viver em uma Cidade que valoriza o ser humano”, disse emocionada a prefeita de Guarujá, Maria Antonieta de Brito durante a entrega das chaves e dos títulos.

As unidades integram o “Favela Porto Cidade”, do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC I). A ação é uma parceria entre a Prefeitura e o Ministério das Cidades. Com as novas moradias, desde 2009, a Prefeitura realizou 469 sonhos de uma casa própria e digna a famílias da Prainha, Acaraú e Complexo Areião, Vila Rã e Sossego.

Na primeira etapa do “Favela Porto Cidade”, a Prefeitura de Guarujá entregou 38 casas e ainda serão construídas mais 60 na Marezinha. As demais famílias do local, contempladas pelo PAC, serão remanejados futuramente para o Parque da Montanha, onde das 1.976 unidades habitacionais, 1.200 estão em fase de execução.

Durante a cerimônia, o líder comunitário da Prainha, Carlos Alberto Souza, conhecido como Carlinhos da Prainha, lembrou da luta do seu pai Josias que em 1997 já pleiteava um projeto habitacional, assim com as melhorias para o bairro.

“Esse é um dia especial, o coração está batendo mais forte, porque esse é um sonho do meu pai: trazer dignidade a essas famílias. Hoje ver vocês nessas condições é minha alegria. Gostaria de agradecer os moradores e toda a equipe de habitação e da regularização fundiária da Prefeitura”.

Assim como o líder comunitário, o secretário municipal de Habitação, Carlos Alberto Soares de Souza, lembrou da mesma reunião em 1997 e fez questão de lembrar da importância da participação e paciência dos moradores.

“Essas 76 famílias estavam em locação social, tiveram paciência e acreditaram no nosso compromisso, mas esse é o inicio de muitos que vêm por aí. Esse é o resultado de um trabalho sério e não podemos esquecer da área consolidada que é muito importante e resultado de um trabalho de comprometimento de toda a equipe da regularização fundiária. Temos ainda agradecer a Caixa Econômica que é uma parceira da Prefeitura de Guarujá”.

O secretário se referiu à entrega dos títulos de “Cessão de Direito para Fins de Moradia”, que foram entregues a 94 famílias. O documento é a segurança para os moradores que garantem a propriedade aos seus proprietários. Para eles serão entregues os termos de, uma parceira do Governo Municipal e Secretaria do Patrimônio da União – SPU.

Novas casas, lideranças e trabalho social são a realidade dos moradores

As moradias entregues completam a quadra de unidades habitacionais que estavam previstas para serem construídas e as famílias remanejadas. Ou seja, as casas antigas foram demolidas e as famílias recebem novas unidades construídas no mesmo local. E como prevê o PAC, todos os programas habitacionais são acompanhados de um trabalho social, na Prainha as assistentes sociais da Prefeitura de Guarujá.

De acordo com a assistente social, Margarete Oliveiros, a ação atende três vertentes. “Estamos fazendo um trabalho de pós ocupação e adaptação nos próximos seis meses. Trabalhamos a mobilização da comunidade para a cidadania, consciência ambiental para prepará-los para uma nova realidade e a geração de renda, já que com as moradias regularizadas vêm novas despesas”, explica.

Além disso, cada bloco de casas é escolhido um líder, como se fosse um condomínio que ficará a frente de trabalhar várias conscientizações e adequar a convivência. Um desses lideres é o Valter Nascimento dos Anjos que recebeu sua casa junto com a esposa e os filhos.

“Foi uma luta chegarmos até aqui. Quero agradecer a equipe da Habitação, as lideranças e pessoal da equipe social. Sem o trabalho de cada um de vocês não estaríamos aqui. Nós somos merecedores, gostaria de agradecer a comunidade também que não permitiu que depredassem, roubassem nada” desabafou emocionado o líder.

As casas foram erguidas em modelo triplex. Cada unidade possui dois quartos, cozinha, sala, banheiro e área de serviço. O imóvel foi entregue no contrapiso, mas prontos para habitar. Posteriormente, o morador que desejar pode adequar ao seu gosto.

A cozinheira, beneficiada por uma das casas, Luiza Isabel Ferreira, estampa a felicidade de receber uma das moradias. Ela afirma que desde os 15 anos mora no bairro e os últimos cinco passou confiante de que este dia chegaria. “É um alívio ter uma moradia digna, próxima do colégio das crianças e confortável para a família”.

Outro morador contemplado com uma nova habitação é o operário José Limão da Conceição. Ele destaca a mudança que o serviço da Prefeitura lhe trouxe. “É outro padrão de vida. Eu só tenho a agradecer. Sempre tive esperança e este dia é a prova disso. Agora tenho como acolher toda a família”, declarou o morador que vai viver na nova casa com a esposa, mas a sua casa estará sempre de portas abertas para a filha e o neto.

É importante lembrar que todas as áreas onde foram e serão construídas as moradias, tanto na Prainha, quanto no Parque da Montanha receberão serviços de tubulação, esgoto, drenagem e rede de água.