Prefeitura Santos
Prefeitura Santos Mobile

Moradora denuncia preços altos no botijão de gás em Mongaguá

Denúncia foi feita ao Procon de São Paulo. Preços variam de R$ 78,00 a R$ 82,00, no caso de entrega, nos depósitos da Cidade

Comentar
Compartilhar
07 ABR 2020Por Nayara Martins07h15
O governador João Doria já havia destacado que os abusos não serão tolerados e que o valor do gás não pode ultrapassar R$ 70,00Foto: Nair Bueno/DL

Uma moradora de Mongaguá fez uma denúncia ao Procon do estado de São Paulo devido aos preços abusivos do botijão de gás de 13 kg, cobrados nos vários depósitos da Cidade. Andrea Amaral Moura, residente em São Paulo, afirmou que a sua mãe, de 69 anos, mora na Avenida Monteiro Lobato, no bairro Vera Cruz, em Mongaguá, e precisou comprar o gás de cozinha. Mesmo à distância, Andrea fez uma breve pesquisa em diversos depósitos de gás, localizados nas proximidades da casa de sua mãe e constatou que os preços variavam e eram abusivos.

A Reportagem do Diário do Litoral também fez contatos para verificar os preços em vários depósitos de gás em Mongaguá. Os valores vão de R$ 78,00 a R$ 82,00 para a entrega na residência. Para o morador que for retirar no depósito, o preço varia de R$ 72,00 a R$ 76,00.

Já em dois depósitos nos bairros Vera Cruz e Balneário Jussara, segundo as funcionárias, haveria um desconto caso o pagamento fosse feito em dinheiro, na entrega em domicílio. No depósito do Vera Cruz, o botijão passaria de R$ 78 para R$ 75,00 e, no do Balneário Jussara, o valor de R$ 82 passaria para R$ 80,00.

Outro lado

Conforme a Prefeitura de Mongaguá, o Procon do município conta apenas com um técnico e um conciliador. Desse modo, assim como em outras cidades da Região, a fiscalização é realizada pela unidade regional do órgão, com sede em Santos. E que na sexta-feira (3), ocorreu uma ação em diversos estabelecimentos da Cidade.

O Procon-SP e o Departamento de Operações Policiais Estratégicas (Dope) vão atuar conjuntamente no combate, identificação e punição à prática de preços abusivos de botijões de gás. A ação é mais uma medida de enfrentamento à crise causada pelo impacto econômico da pandemia do coronavírus.

O governador de São Paulo João Doria (PSDB) fez o anúncio no último dia 1º e destacou que os abusos não serão tolerados e que o valor do gás não pode ultrapassar R$ 70,00.

O diretor geral do Procon-SP, Fernando Capez, informou que, em casos mais extremos, o valor chegou a R$ 130. Disse ainda que, para coibir tais práticas, o Procon-SP contará com o apoio das viaturas do Dope.

O Procon-SP disponibiliza canais de atendimentos à distância para receber denúncias, intermediar conflitos e orientar os consumidores: via internet (www.procon.sp.gov.br), aplicativo - disponível para Android e iOS - ou via redes sociais, marcando @proconsp, indicando o endereço ou site do estabelecimento.