Morador de São Vicente acumula prêmios em documentário sobre dia a dia de operários

Leandro Olímpio decidiu produzir obra com as filmagens realizadas pelos próprios trabalhadores da Petrobras

Comentar
Compartilhar
17 JAN 2021Por Da Reportagem19h04
O jornalista Leandro Olímpio da Rocha, 34 anos, dirigiu o curta-metragemFoto: Divulgação/PMSV

Um vicentino tem ganhado fama nacional e internacional por conta do documentário "Imagens de um Sonho", de 2019. O jornalista Leandro Olímpio da Rocha, 34 anos, dirigiu o curta-metragem com uma linguagem e visão diferente de tudo o que já havia sido produzido sobre a crise da Petrobras.

Com duração de 20 minutos e imagens captadas pelos próprios trabalhadores da empresa, Leandro identificou uma oportunidade de compilar o material num documentário, focando a principal estatal do Brasil sob o olhar e os sentimentos de quem vivia a rotina dia após dia. "Estava procurando no Youtube imagens do início da Refinaria de Cubatão e me deparei com vídeos registrados por operários. Sem querer, estavam ali os dramas e as alegrias dos colaboradores da maior empresa do País", relembra Leandro.

A ideia do filme, assim como a paixão pelo audiovisual, surgiu por acaso na vida do paulistano que escolheu o bairro Boa Vista, em São Vicente, para viver. "Trabalhei por 10 anos no Sindipetro e fazia de tudo um pouco. Com as novas tecnologias, passei também a filmar, editar alguns vídeos e me apaixonei pela edição. Encontrei no cinema um terreno fértil".

Com 28 festivais no currículo, como o Curta Santos, Semana Paulista do Curta-metragem, Lan Festival Audiovisual Obrero (Espanha) e o Emma Goldman Anarchist Film Festival (Nova York/EUA), Leandro conta que teve um misto de sentimentos quando lançou o mais recente documentário. De um lado, tinha esperanças de conquistar o reconhecimento no meio do audiovisual; mas por outro, também tinha muita insegurança.

"Havia a confiança de ser bem recebido, não só pela relevância do tema, mas pelo formato que foi gravado. Até por isso, fiz questão de garantir as versões em inglês e espanhol. Mas também tinha outro sentimento, seja pela inexperiência, ou pelo fato de a classe operária hoje não ser vista como um setor social ainda relevante", afirmou Leandro.

Depois de ser premiado como melhor documentário no 17º Curta Santos, na 19ª Mostra de Audiovisual Universitário e Independente da América Latina e no 12º Festival de Cine y Artes Visuales Bugarte (Colômbia) e ainda receber menção honrosa no 5º Festival de Cine Corto de Envigado (Colômbia) e no International Film Festival of India (Índia), o jornalista já projeta os próximos passos.

"Nesses 10 anos que trabalhei no Sindicato, registrei muitas imagens. Quero revisitar esses vídeos para mergulhar não só no trabalho de petroleiros, mas sobre o sindicalismo de modo mais amplo, ressignificando seus sentidos, não mais com seu uso para a ação, mas sim para a reflexão".

É possível assistir ao filme acessando o link disponível no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=5NRkcqdfymE.