Mongaguá tenta reverter rescisão do PAC II

Prefeitura de Mongaguá corre contra o tempo para não perder, de vez, a verba federal, no valor de R$ 19 milhões.

Comentar
Compartilhar
07 FEV 201321h21

A Prefeitura de Mongaguá corre contra o tempo para não perder, de vez, a verba federal, no valor de R$ 19 milhões, destinada à execução de obras de infraestrutura, saneamento, regularização fundiária e construção de 180 moradias, nos bairros Vera Cruz, Vila Operária e Vila Atlântica. Cerca de quatro mil famílias seriam contempladas com este investimento.

O recurso foi aprovado pelo Ministério das Cidades, através Programa de Aceleração do Crescimento (PAC II), porém, o contrato, assinado em 12 de setembro de 2011, foi rescindido em 31 de julho de 2012, porque o projeto de drenagem, apresentado pelo governo anterior, não atendia às exigências técnicas da Caixa Econômica Federal. Todas as alterações solicitadas anteriormente pela Caixa, em três ocasiões, não foram cumpridas pelo ex-prefeito.

"Ao assumir a Prefeitura de Mongaguá, o prefeito Artur Parada Prócida (PSDB) determinou aos Departamentos de Obras e Habitação total empenho nesta questão para o Município não perder a verba. Estamos trabalhando muito para reverter esta situação. A Cidade, especialmente os moradores destes bairros, não pode sofrer prejuízos devido à incompetência administrativa e técnica do governo passado. Estamos otimistas, correndo contra o tempo”, disse o diretor municipal de Habitação, Osvaldo de Freitas Ferreira.