Mauro Orlandini está fora das eleições de 2020

Por 7 x 1, contas do ex-prefeito foram reprovadas pela Câmara de Bertioga, que acompanhou o parecer negativo do Tribunal de Contas do Estado

Comentar
Compartilhar
11 SET 2019Por Da Reportagem17h15
O cenário político de Bertioga não contará com uma candidatura encabeçada por Mauro OrlandiniFoto: Rodrigo Montaldi/Arquivo DL

Na noite da última terça feira, 10, em uma sessão marcada por tumulto, desordem, fogos de artifícios e “chuva de moedas”, as contas do ano de 2015 do ex-prefeito Mauro Orlandini foram reprovadas pela Câmara Municipal de Bertioga por sete votos a um. 

O presidente da Casa de Leis, Luiz Henrique Capellini, explicou o rito do julgamento diante de um auditório lotado, com a presença de Miranda, apoiadores da casa de reabilitação e alguns populares. Apesar de todo clima de tensão, que necessitou inclusive da autuação policial, para garantir a manutenção da ordem no local, a sessão aconteceu.

O vereador Eduardo Pereira (Solidariedade) fez a leitura de seu relatório, em que num discurso político, buscou sensibilizar seus colegas, declarando inclusive que “ não iria rasgar sua história ao lado desse homem”, referindo-se ao fato de ter sido vice-prefeito naquela gestão, mas a tentativa não funcionou, seria defender o indefensável, pois o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, que é uma corte técnica e analisa os gastos e atos do gestor sob a ótica da legislação, já havia dado parecer desfavorável as contas de Orlandini. 

Violou regras de repasse à Educação

Um dos principais motivos apresentados, foi a violação as regras de repasse para a Educação. Apesar do vereador Eduardo, tentar mostrar que o Tribunal tem uma visão fria e distante das coisas que acontecem, a maioria soberana dos vereadores votou pela manutenção do parecer, resultando na desaprovação das contas. 

Os vereadores Matheus Rodrigues e Biró, em parecer conjunto apresentaram a seus colegas de plenário, razões objetivas pelas quais entendiam a necessidade de manter o parecer apresentado pela Corte de Contas, e diante da plateia lotada, do ex-prefeito, que teve a chance de apresentar sua defesa oral e com a ausência do vereador Ney Lyra, o resultado foi de 7 x 1 pela reprovação. 

Três contas rejeitadas 

Com o resultado, o cenário político de Bertioga não contará com uma candidatura encabeçada por Mauro Orlandini nas eleições do próximo ano. O ex-prefeito também teve contas rejeitadas anteriormente (2013, 2014 e agora, 2015), está inelegível e, mesmo que tente candidatura, por certo o registro de sua candidatura será indeferido e os votos que eventualmente receba serão todos anulados.

Nos últimos tempos, o cenário político tem mudado bastante, as pessoas estão mais exigentes e atentas ao que acontece e, em Bertioga, existe também esse reflexo, um novo momento da política local, onde o discurso sem demonstração de respeito a gestão pública, não funciona mais.

Colunas

Contraponto