Mais de 264 mil veículos desceram a Serra durante a Semana Santa

Número de veículos ficou dentro do que a Ecovias esperava no período; não foram registrados acidentes com mortes

Comentar
Compartilhar
22 ABR 2019Por Da Reportagem16h02
A contagem teve início às 0h de quinta-feira (18), e terminou às 23h59 deste domingo (21)Foto: Agência Brasil

Durante o feriado da Semana Santa, a Ecovias, responsável pela administração do Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI), registrou a passagem de 264.589 veículos em direção à Baixada Santista. A contagem teve início às 0h de quinta-feira (18), e terminou às 23h59 deste domingo (21). O número ficou dentro da expectativa da concessionária, que esperava a passagem de 180 mil a 290 mil veículos neste período, dependendo da condição climática.
 
Os motoristas encontraram o tráfego mais intenso no SAI na sexta-feira (19), entre 8h e 9h, quando 7.796 mil veículos seguiam à Baixada Santista. Para garantir melhor fluidez dos veículos, o sistema Anchieta-Imigrantes já estava em Operação Descida (7X3), que permitiu que os usuários utilizassem as duas pistas da rodovia Anchieta e a pista sul da rodovia dos Imigrantes em direção ao Litoral.
 
Já quando os usuários começaram a retornar para São Paulo, o pico de movimentação do tráfego foi registrado ontem (21), entre 12h e 13h, quando 10.393 mil veículos seguiam sentido à capital paulista. A Operação Subida (2x8) já estava em vigor no SAI. Neste caso, os motoristas subiam pelas duas pistas da Imigrantes e pela pista norte da Anchieta.

Acidentes e atendimentos 

Durante o período do feriado da Semana Santa, foram registrados 31 acidentes nas rodovias do Sistema Anchieta-Imigrantes, com 18 feridos.
 
No período de contagem, a concessionária atendeu 1.374 usuários que precisaram de auxílio nas rodovias. Destes atendimentos, 808 foram ocorrências por panes mecânicas, 478 necessitaram do apoio de guincho e 88 solicitaram socorro médico.
 
Responsável pelo Sistema Anchieta-Imigrantes, a Ecovias faz parte do Programa de Concessões Rodoviárias do Estado de São Paulo, sob fiscalização da Agência Reguladora de Transportes do Estado de São Paulo (Artesp).

Colunas

Contraponto