Maioria decide destituir presidente do Conselho Deliberativo

Em reunião extraordinária convocada para ontem à noite, o presidente da Mesa Diretora do Conselho Deliberativo da Sociedade Portuguesa de Beneficência foi destituído por 69 votos

Comentar
Compartilhar
28 JAN 201322h30

Em reunião extraordinária convocada para ontem à noite, o presidente da Mesa Diretora do Conselho Deliberativo da Sociedade Portuguesa de Beneficência, Ernesto Vieira da Silva, foi destituído por 69 votos. Ernesto recebeu quatro votos pela sua permanência e houve ainda uma abstenção. Compareceram à audiência, 74 dos 126 conselheiros da Casa. Após a votação, foi realizada a eleição da nova mesa diretora, e o conselheiro Rivaldo Rodrigues Novaes Junior foi eleito presidente. 

As divergências entre os membros do Conselho Deliberativo da Beneficência iniciaram em reunião realizada no último dia 15 de junho após a rejeição da mesa diretora às contas apresentadas pela Diretoria Executiva da Beneficência. Ricardo Novaes afirmou que a votação da rejeição foi forjada pela mesa, não representando a posição dos demais conselheiros.

Já Ernesto afirmou que as contas foram rejeitadas porque os números levantados pela auditoria divergiam do balanço apresentado pela diretoria executiva. “As contas apresentam um passivo de R$ 43 milhões. Nosso levantamento apontou um passivo de R$ 69 milhões”, disse Ernesto.

Ernesto justifica a rejeição ao balanço apresentado pela diretoria apontando para a má gestão administrativa e financeira da entidade. ”As contas são irreais”, afirmou. Ernesto disse que em setembro de 2008, foi decidido em reunião do conselho que todas as contas deveriam ser corrigidas.

“O prédio da Beneficência não foi à leilão em junho porque foi feito um acordo com a Prefeitura de Santos. Mas, ainda tem as dívidas com o INSS e com a Receita Federal, e todos os imóveis da entidade estão penhorados. Tudo isso por total falta de estratégia de um grupo de pessoas”, afirmou Ernesto.

Ernesto impetrou medida cautelar com pedido de tutela antecipada na 2a Vara Cível da Comarca de Santos para impedir sua destituição. Mas, o juiz Cláudio Teixeira Villar concedeu em parte, a liminar.

Agora, com a destituição de Ernesto Vieira da Silva, o juiz deverá convocá-lo para ouvi-lo sobre o caso e analisar a documentação para então avaliar a veracidade dos fatos e deferir ou não a deliberação de ontem dos conselheiros.

“O processo (eleição da nova mesa) foi legítimo e agora vamos aguardar a formalização pelo juiz Cláudio Teixeira Villar”, afirmou Rivaldo. A comissão de oposição a Ernesto era constituída ainda pelos conselheiros Mônica Cristina Pedro dos Santos e Pedro Marques Patrocínio, que recolheram assinaturas para a convocação da reunião e destituição da mesa diretora.  

Ministério Público Federal

Ernesto comentou ainda que entre hoje e segunda-feira, entrará com representação no Ministério Público Federal (MPF) solicitando investigação das contas da Sociedade Portuguesa de Beneficência. O presidente da mesa disse ontem que estava aguardando a liminar do juiz para juntá-la aos demais documentos que serão anexados na representação.