'Maiores portos são públicos', afirma Júnior Bozzella

O político ressaltou que participou de reuniões com os ministros da Infraestrutura e da Economia, onde foram discutidos os dois projetos para administrar o Porto de Santos

Comentar
Compartilhar
12 JAN 2019Por Glauco Braga08h30
Bozzela falou em descentralização parcial, respeitando as particularidades de todos os setoresFoto: Rodrigo Montaldi/DL

O deputado federal eleito Júnior Bozzella (PSL)  garantiu ontem que a privatização do Porto de Santos está totalmente descartada. Bozzella  lembrou que a descentralização é a bola da vez.

O político ressaltou que participou de reuniões com os ministros da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e da Economia, Paulo Guedes, onde foram discutidos os dois projetos para administrar o Porto de Santos.  

“Em posse dessas informações criei um conselho consultivo onde ouvimos os prefeitos da região que estão diretamente envolvidos na pauta, Valter Suman, do Guarujá, e Paulo Alexandre Barbosa, de Santos, lideranças sindicais que representam os trabalhadores portuários, empresários ligados ao porto, Sopesp, e especialistas da área com a missão de encontrar um modelo que, de forma equilibrada, atenda aos anseios de todo o grupo e necessidades da população”.

Bozzella ressaltou que a privatização do porto foi descartada e o próximo passo é descentralizar o poder de forma parcial, de acordo com as particularidades e necessidades de cada segmento portuário.

“Os exemplos ao redor do mundo mostram que aqueles países que optaram pela privatização voltaram atrás, por verem que é um modelo que não funciona. Os maiores e melhores portos do mundo são administrados por empresas públicas, porém descentralizados, com princípios privados e nenhuma interferência política. Entendemos hoje que o melhor caminho é a gestão onde exista a presença do município, Estado e Governo Federal”, afirmou o deputado.

O político vicentino criou um conselho e está organizando uma minuta que será levada para apreciação dos prefeitos da região e, depois, ao governador do Estado, João Doria.  “A partir de 1 de fevereiro quando tomo posse, vamos fazer uma nova discussão com o governo Federal, por intermédio de uma Frente Parlamentar, a minuta desse novo modelo de gestão para o Porto de Santos”, finalizou Bozzella.

Cruzeiros

Cerca de 30 mil turistas circularão no Terminal Marítimo de Passageiros Concais nas operações de desembarque, embarque e trânsito de quatro navios que chegam neste fim de semana à Cidade. Procedente do Balneário de Camboriú, atraca neste sábado, às 6h30, o MSC Seaview pela oitava vez. Com capacidade para 5.429 hóspedes, faz sua estreia no país segue por volta das 19h para Búzios e Ilha Grande (RJ), Salvador e Ilhéus (BA), para roteiro de sete noites.

O Quarteto de Cordas Martins Fontes recepciona, às 11h30 amanhã, os cerca de nove mil turistas que desembarcam e embarcam nos navios Poesia (MSC), Favolosa (Costa) e Sovereign (Soberano, da Pullmantur).

O Poesia, que chega aproximadamente às 8h de Punta del Este e Montevidéu (Uruguai) e Buenos Aires (Argentina), segue no final do dia para cumprir o mesmo roteiro de sete noites. O Favolosa atraca no mesmo horário, procedente de Buenos Aires e Montevidéu, e parte às 18h para Búzios, Salvador e Ilhabela (SP) em cruzeiro de seis noites. Às 9h, é a vez do Sovereign que vem de minicruzeiro pelo Rio de Janeiro e Camboriú, e segue às 18h para o Rio.

Colunas

Contraponto