Maior navio da história chega a Santos em dezembro

Com capacidade para 5.331 passageiros e seis meses de atividades, o Seaview comporta mil pessoas a mais por viagem que o segundo maior navio do verão, o MSC ­Fantasia

Comentar
Compartilhar
20 SET 2018Por Folhapress09h30
Navio, com capacidade para 5.331 passageiros, partirá de Santos em seu primeiro cruzeiro nacional em 7 de dezembroNavio, com capacidade para 5.331 passageiros, partirá de Santos em seu primeiro cruzeiro nacional em 7 de dezembroFoto: Divulgação

O Brasil está prestes a receber o maior navio de cruzeiros da sua história. Em 17 de novembro, o MSC Seaview parte de Marselha, na França, para atravessar o Atlântico e chegar ao Rio. A embarcação é a novidade da temporada de cruzeiros no país, que vai de novembro até o final de março.

Com capacidade para 5.331 passageiros e seis meses de atividades, o Seaview comporta mil pessoas a mais por viagem que o segundo maior navio do verão, o MSC ­Fantasia.

Depois de uma parada no Rio, a embarcação segue para Santos, de onde parte seu primeiro cruzeiro nacional, em 7 de dezembro. O Seaview fará roteiros pelo litoral de Santa Catarina, do Sudeste e do Nordeste, de 3 a 14 noites, partindo de Santos e Salvador.

Esses dois portos estão sendo preparados desde o começo do ano para receber o navio, segundo o diretor-geral da MSC, Adrian Ursilli.  Funcionários da empresa trabalham em conjunto com os terminais para garantir que a entrada e a saída dos viajantes ocorra normalmente.

“Vamos receber os passageiros com mais transporte, mais funcionários nos terminais e mais equipamentos de raio-x”, afirma.

A temporada 2018/2019 de cruzeiros no país terá o mesmo número de embarcações do ano passado: seis, sendo três navios da MSC, dois da Costa e um da Pullmantur.

Mesmo assim, o número de vagas neste verão será 15% maior em comparação com 2017/2018. No total, quase 499 mil passageiros vão passar pela costa brasileira durante a temporada.

Para aumentar a capacidade, além de trazer cruzeiros maiores, as companhias vão prolongar a temporada e fazer mais viagens por navio, o que vai resultar em um acréscimo de 60 mil leitos -é como se tivesse uma embarcação a mais no litoral.

“Não é mágica, é mais tempo de temporada e mais itinerários vendidos”, afirma Marco Ferraz, que é presidente da Clia Abremar, associação brasileira do setor.

“É uma forma mais sustentável de crescer. Em 2019, vamos terminar a temporada no final de março e, em 2020, a ideia é ir até abril”, diz Alex Calabria, gerente de vendas e marketing da Costa.

A empresa repete neste ano os navios gêmeos que trouxe no ano passado, Fascinosa e Favolosa, que podem levar 3.800 passageiros cada um.

A temporada não terá novas escalas. Testadas no ano passado, as paradas em Balneário Camboriú e Porto Belo, em Santa Catarina, foram ­bem-sucedidas e entram com mais força nos ­roteiros.