Libra e Cosipa não se manifestam sobre proposta de negociação

O envio das propostas foi o primeiro passo rumo ao equacionamento do passivo da Codesp, hoje em R$ 806 milhões

Comentar
Compartilhar
27 FEV 201321h37

A Libra Terminais e a Cosipa — empresas que mais devem para a Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), conforme disse o ministro da Secretaria Especial de Portos, Pedro Brito, na última quinta-feira —, não quiseram se pronunciar ontem sobre as propostas de acordo que receberam no dia anterior. O envio das propostas foi o primeiro passo rumo ao equacionamento do passivo da Codesp, hoje em R$ 806 milhões.

A dívida da Libra Terminais, conforme já havia sido informado pela Codesp, é de R$ 500 milhões. O débito da Cosipa está calculado em R$ 270 milhões. Logo que assumiu a Secretaria, o ministro declarou que pretende encontrar uma solução para o passivo em 60 dias. Outra alternativa seria a cobrança de créditos da Codesp no valor de R$ 884 milhões.

A Libra Terminais informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que só dará declarações sobre a carta com a proposta de negociação na próxima semana e que tem prazo de dez dias para responder à autoridade portuária.

A Cosipa, declarou, em nota, que "existem pendências financeiras entre a Cosipa e a Codesp, que estão sendo discutidas judicialmente. A Cosipa sempre esteve disposta a um acordo, inclusive com a formalização de propostas no passado. A empresa desconhece os valores divulgados e reafirma que continua disposta a reestabelecer negociações".

Outras medidas para a solução do passivo serão discutidas em reunião marcada para a próxima terça-feira, na Casa Civil, pelo grupo constituído por representantes da Secretaria Especial de Portos, Casa Civil e Advocacia Geral da União.