Justiça decreta prisão de pedreiro após acidente com cinco mortes em Peruíbe

O suspeito estava embriagado e guiando sem CNH

Comentar
Compartilhar
03 AGO 2020Por Folhapress18h30
Em depoimento, ele admitiu ter ingerido cerca de três litros de cerveja, antes de assumir o volante de uma Mitsubishi Pajero.Foto: Divulgação/Polícia Rodoviária

A Justiça decretou no domingo (2) a prisão preventiva de um pedreiro de 35 anos que se envolveu em um acidente que matou quatro adultos e um bebê. O acidente ocorreu na madrugada do dia anterior, em uma rodovia de Peruíbe. O suspeito estava embriagado e guiando sem CNH (Carteira Nacional de Habilitação).

Com a decisão do juiz Paulo Alexandre Rodrigues Coutinho, de Itanhaém, o pedreiro ficará preso por tempo indeterminado. Ele foi indiciado por homicídio doloso (com intenção de matar), por embriaguez ao volante e também por guiar sem habilitação. Em depoimento, ele admitiu ter ingerido cerca de três litros de cerveja, antes de assumir o volante de uma Mitsubishi Pajero.

Segundo a polícia, o pedreiro perdeu o controle do carro de luxo e invadiu a contramão da rodovia Padre Manoel da Nóbrega, na altura do km 347, e bateu de frente com um Fiat Uno, ocupado pelas vítimas, deixando o veículo completamente destruído.

Morreram no acidente o bebê Enzo Gabriel Andrade dos Santos, de 1 ano, seus pais Glaucia Andrade de Sousa, 30, Claudinei Souza dos Santos, 38, o avô do menino Genivaldo Freire de Sousa, 60, e o amigo da família Johnny Cassiano Passos, 29.

A polícia chegou ao local no momento em que o motorista da Pajero era atendido por socorristas do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). Segundo a polícia, ele se negou a fazer o teste do bafômetro, mas admitiu ter bebido, sendo por isso preso em flagrante.

Com a conversão da prisão para preventiva, o pedreiro vai aguardar os desdobramentos da investigação no Centro de Detenção Provisória de Praia Grande (71 km de SP). A defesa dele não foi localizada até a publicação desta reportagem.

MORTES EM ACIDENTES

Entre janeiro e junho deste ano, foram registrados 1.439 acidentes fatais nas ruas e rodovias paulistas, registrados como homicídios, representando quase oito mortos diárias, considerando o período. Deste total de casos, 14 pessoas foram vítimas de homicídios dolosos (com intenção) no trânsito.

No mesmo período do ano passado, oito pessoas morreram em acidentes de trânsito, registrados como homicídios dolosos no estado, representando alta de 75% em relação ao primeiro semestre deste ano. Os dados são da Secretaria da Segurança Pública, sob gestão de João Doria (PSDB).