Justiça de SP nega recurso do MP e obras contra erosão prosseguem na Ponta da Praia

Ao longo da ação, serão colocados 49 bags, formando uma barreira submersa em formato de ‘L’ com mais de 500 metros

Comentar
Compartilhar
28 FEV 2018Por Da Reportagem18h20
A obra foi paralisada no dia 12 de janeiro e liberada no início de fevereiroFoto: Rodrigo Montaldi/DL

A Justiça de São Paulo ratificou a decisão do início de fevereiro e negou recurso do Ministério Público que pedia interrupção das obras do projeto piloto contra erosão na Ponta da Praia. Com isso, o serviço técnico segue normalmente para conter ressaca naquela região.

A decisão foi tomada pelo desembargador Paulo Alcides Amaral Salles, do Tribunal de Justiça de São Paulo.

“Evidenciado, ainda, o risco de dano inverso, diante do caráter emergencial das obras, que deverão ser realizadas o período meteorológico favorável”, disse o magistrado ao justificar indeferimento do pedido do MP.

A obra foi paralisada no dia 12 de janeiro e liberada no início de fevereiro após decisão da 3ª Vara da Fazenda Pública.

Ao longo da ação, serão colocados 49 bags, formando uma barreira submersa em formato de ‘L’ com mais de 500 metros. Uma draga e um sistema de tubulação são utilizados para encher os sacos e a previsão é de que as obras terminem em março.