Jovem arrastada por ladrão de moto em Guarujá faz vaquinha para custear cirurgias

Ela foi atacada quando aguardava ônibus para ir ao trabalho na manhã do dia 23 de setembro, na Avenida Dom Pedro I, no Jardim São Manoel

Comentar
Compartilhar
07 OUT 2020Por Da Reportagem17h15
Juliana chegou a ser arrastada por um ladrão que estava em uma motoFoto: Arquivo Pessoal

Juliana Rosa dos Santos Costa a jovem, de 25 anos, que sofreu diversos ferimentos no rosto durante uma tentativa de assalto na Avenida Dom Pedro I, em Guarujá, precisará realizar cirurgias plásticas restauradoras. Ela chegou a ser arrastada por um ladrão que estava em uma moto e tentou puxar sua bolsa. Desde então, uma vaquinha virtual foi criada para ajudar a jovem a conseguir dinheiro para as cirurgias.

Até a publicação desta reportagem, o valor arrecadado era de R$ 9.155,00. Para ajudar, basta acessar o link https://www.vakinha.com.br/vaquinha/todos-pela-juliana-jeane-franklin-martins e contribuir com qualquer quantia.

Antes disso, alunos do curso de odontologia em que Juliana estuda decidiram organizar uma rifa para ajudá-la. Um fotopolimerizador, equipamento muito usado na odontologia, foi posto à venda e em menos de 24 horas, toda a rifa já estava vendida.

Assalto

O caso aconteceu às 6h40 do dia 23 de setembro, enquanto ela aguardava o ônibus para ir ao trabalho.

Segundo a vítima, um homem que estava em uma moto veio pela contramão e puxou sua bolsa. No entanto, a bolsa ficou presa ao seu corpo e, em razão disso, ela sofreu uma queda violenta e chegou a ser arrastada pela via, o que causou diversos ferimentos em sua face.

Juliana foi socorrida numa Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e posteriormente encaminhada ao Hospital Guarujá, onde recebeu diversos pontos no rosto e na parte interior da boca. Ela afirma que a ação foi muito rápida e que, com a queda, não conseguiu identificar o homem, que fugiu sem levar nada.

O caso foi registrado na Delegacia Sede de Guarujá. Quem tiver informações que auxiliem a polícia a identificar e prender o criminoso deve ligar para o 181 (Disque-Denúncia). Não é necessário se identificar.