José Menino comemora aniversário sem festa

Marcos não considera o projeto de revitalização do Emissário Submarino, como um investimento no bairro

Comentar
Compartilhar
02 MAR 201321h56

Hoje, simbolicamente, a comunidade do José Menino celebra o aniversário do bairro que tem cerca de duzentos anos de existência. A data escolhida é o dia da fundação da Sociedade de Melhoramentos porque, segundo o presidente da entidade, Marcos Antonio Pereira, não existe uma data oficial.

“O José Menino é o patinho feio de Santos. A Prefeitura realiza eventos em quase todos os bairros, mas o José Menino não recebe nenhum evento, nem investimentos”, afirmou o presidente da Sociedade de Melhoramentos.

Marcos não considera o projeto de revitalização do Emissário Submarino, como um investimento no bairro. “O projeto do Emissário é uma obra para a cidade e não para o José Menino”.   

O bairro, um dos mais tradicionais de Santos, tem seus atrativos. O Orquidário, a Gruta de Nossa Senhora de Lourdes, no pé do morro, o Clube dos Ingleses e o Caiçara, hoje decadente, o quebra-mar, no Emissário — onde os surfistas pegam onda — e a bela vista da Ilha de Urubuqueçaba.

Contudo, Marcos salientou que a beleza da orla não ofusca a insegurança na praia. “Falta mais policiamento aqui, principalmente a noite porque acontece de tudo. Pessoas fazendo sexo, tráfico e prostituição. Um transtorno para os moradores desses prédios à beira-mar”.

Outra queixa do representante da comunidade é a não utilização do parque público, próximo ao Emissário Submarino. O parque com brinquedos para crianças está fechado.

Apesar dos problemas, o comerciante Adriano dos Santos, estabelecido no bairro há seis anos, não se queixa. “Eu gosto do bairro e da cidade como um todo”. O aposentado, Norberto Garcia Diz, também elogia o bairro que escolheu para morar. “Eu comprei um apartamento em frente a praia porque gosto de ir à praia e de ver movimento. Aqui tem bastante movimento na rua”.

Histórico

José Menino era o apelido de José Honório Bueno, um homem franzino, proprietário de um sítio entre a divisa com São Vicente e o canal 2, no século XIX. José Menino se estabeleceu naquela área, em 1808, onde produzia farinha, arroz e feijão, tornando-se um dos comerciantes mais conhecidos da Cidade. José Menino nasceu em 1766 e morreu em 1854.