governo 2

Jordânia executa iraquiana após EI divulgar vídeo de jordaniano queimado vivo

O grupo extremista havia proposto trocar o piloto Muath al-Kaseasbeh pela iraquiana Sajida al-Rishawi, condenada à morte na Jordânia por ter participado de um ataque que matou 60 pessoas

Comentar
Compartilhar
04 FEV 201514h12

 O governo da Jordânia informou nesta quarta-feira que executou dois de seus prisioneiros, incluindo uma mulher iraquiana acusada de realizar um atentado terrorista a mando da Al-Qaeda. As execuções ocorreram nesta madrugada e foram uma resposta ao Estado Islâmico, que divulgou ontem um vídeo no qual mostra um piloto jordaniano sendo queimado vivo em uma jaula.

O grupo extremista havia proposto trocar o piloto Muath al-Kaseasbeh pela iraquiana Sajida al-Rishawi, condenada à morte na Jordânia por ter participado de um ataque que matou 60 pessoas em um hotel do país em 2005. O prazo final para a troca era quinta-feira, 29 de dezembro, até o pôr-do-sol no Iraque. O outro prisioneiro executado pela Jordânia chamava-se Ziad al-Karbouli.