João Pessoa: uma rua com cara de avenida

A rua abriga todos os tipos de comércio ao longo de seus 1,5km de extensão.

Comentar
Compartilhar
20 JAN 201314h12

É comum para quem passa pela João Pessoa, no Centro de Santos, não saber se está transitando em uma rua ou uma avenida. Devido à característica de avenida, ela causa surpresa nos entrevistados ao descobrirem que, de fato, estavam em uma rua.

De acordo com o Dicionário Aurélio, rua é uma “via pública para circulação urbana, total ou parcialmente ladeada de casas”, enquanto avenida é uma “via urbana mais larga do que a rua, em geral com diversas pistas para circulação de veículos”.

Porém, a João Pessoa é uma mistura das características citadas acima. Com cerca de 1,5Km de extensão, a João Pessoa começa na Avenida Perimetral e termina na Praça dos Andradas. Além disso, tem tudo o que uma avenida também tem como, por exemplo, oficinas mecânicas, postos de gasolina, estacionamentos, agências bancárias, lojas de roupas e calçados, um açougue, vários restaurantes e lanchonetes, uma academia, farmácias, camelôs, o Poupatempo, e, para os religiosos, duas igrejas: uma evangélica e uma católica.

A Prefeitura de Santos explica que não existe uma legislação que especifique o que é rua ou avenida, e que é seguida a denominação especificada na lei que dá nome aos logradouros públicos.

Movimento intenso é bom para ambulantes

Devido ao número de pessoas que circulam na via diariamente, comerciantes têm a oportunidade de ganhar a vida. É o caso do vendedor de doces Luiz Pereira.

“Eu estou aqui nesse ponto há dez anos, a João Pessoa representa tudo para mim. Adoro essa rua, o movimento de pessoas, os outros comerciantes, tudo. O movimento aqui é muito bom. É ótimo trabalhar. Em dez anos eu vi isso aqui mudar muito e não penso em sair daqui, pois está tudo ótimo”.

Já Nilton Soares de Farias, que vende mate e suco de abacaxi há mais de um ano na João Pessoa, faz uma ressalva. “O movimento é muito bom. O único problema são os buracos na calçada. Recentemente eu tive que mudar de lugar, pois onde eu ficava abriu um buraco”.

A João Pessoal é uma das principais vias do Centro Histórico de Santos (Foto: Luiz Torres/DL)

Má sinalização atrapalha o trânsito no local

Apesar de ser importante para os comerciantes, a rua oferece transtornos aos motoristas. As faixas de divisão da via estão apagadas, dificultando o trânsito no horário de pico, às 18h, formando, às vezes, até quatro ou cinco fileiras de carros. Algumas faixas de pedestre também estão apagadas.

“Tudo o que não está no seu lugar correto acaba atrapalhando e com a sinalização da João Pessoa não é diferente”, explica Joel Sérgio, taxista há 17 anos.

Falta de ciclovia preocupa ciclistas

A falta de uma ciclovia preocupa ciclistas, que pedem a criação de uma ciclofaixa, para não dividirem espaço com os carros, que estacionam do lado direito e, principalmente com os ônibus, que param do lado esquerdo da via.

“Uma ciclovia aqui, vinda da Perimetral até a Nossa Senhora de Fátima seria maravilhoso para os ciclistas”, conta o ciclista Gilberto de Oliveira.

Munícipes aprovam reurbanização

A Prefeitura de Santos disse que o projeto de reurbanização da Rua João Pessoa prevê drenagem, pavimentação, calçadas com rampas para deficientes, sinalização viária e ciclovia interligando o porto ao túnel Rubens Ferreira Martins, Rua Visconde de São Leopoldo e Av. Martins Fontes (entrada da cidade). As obras devem começar ainda este mês com prazo de oito meses para conclusão.