X

REFLEXÃO

'Jesus foi um jovem da periferia', afirma reverendo

A frase é do reverendo Sérgio Ferreira que, em entrevista ao Diário, faz uma reflexão clara e atual sobre a Páscoa

Carlos Ratton

Publicado em 29/03/2024 às 07:00

Atualizado em 29/03/2024 às 09:15

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

O reverendo Sérgio Ferreira concedeu entrevista ao Diário do Litoral / ISABELLA FERNANDES/DIÁRIO DO LITORAL

Diário do Litoral - Se Jesus voltasse à Terra hoje seria crucificado?

Reverendo Sérgio Ferreira - Por uma massa que faz a total associação da figura de Jesus com a dos messias modernos. Essa gente defende a desigualdade, o armamento e está longe de defender os mais pobres. Jesus seria uma pessoa não grata a eles, com certeza.

DL - Jesus foi morto pela intolerância. Ao executar Jesus, os romanos só fizeram que sabiam de melhor: matar para manter a estabilidade do império ou seja o governo.

S.F. - Jesus foi um jovem da periferia e sofreu preconceito. Ele vem de Nazaré que, pelo preconceito, era um local considerado agrícola, que não tinha escola, de analfabetos. Jesus vem trazer a proposta de um novo reino e era evidentemente que bateria de frente com o Império Romano e com a elite religiosa. Ele falou que não veio para combater a injustiça do império (poder) ou no templo (religião). Então, foi entregue pelos dois poderes. Jesus não morre numa cama doente, atropelado por um camelo ou andando pelas ruas de Jerusalém. Morre julgado pelo poder religioso e político.

São Vicente recebe peça de 'A Paixão de Cristo' neste domingo (31)

DL - Cristo pregava uma sociedade igualitária baseada na ajuda mútua e na distribuição de bens. Ele seria chamado de comunista hoje?

S.F. - Cada vez mais essa palavra ainda assusta e assustou uma geração mais velha que tem esse medo do comunismo. Jesus seria acusado de comunista não só por conta de uma questão econômica, mas porque há uma acusação padrão que se faz contra qualquer coisa que pregue justiça, liberdade, direitos iguais. É impressionante que, por exemplo, o padre Júlio Lancellotti, Madre Tereza de Calcutá ou a Irmã Dulce irmã serem acusados de comunistas. A Irmã Dulce chegou a perguntar se comunismo era distribuir comida para todo mundo. O Padre Júlio foi um grande professor de teologia. Ele é um querido na Igreja. O Papa Francisco o reconhece como um fiel cumpridor do evangelho, um modelo do sacerdócio. Pessoas em situação de rua deveriam causar escândalo (indignação). A primeira coisa que deveria escandalizar são os pobres nas ruas. E nesse aspecto, o Padre Júlio sai na frente porque ele não esperou muita coisa. Catou o próprio pão que tinha e chamou a comunidade. Ele é respeitado por quase todas as religiões. Ele está cercado de pobres fazendo das tripas coração para dar alimento a eles.

Quarta-Feira de Cinzas: entenda o que significa o tempo de quaresma?

DL - O Papa Francisco também é muito atacado, não?

S.F. - Nós, anglicanos, temos um diálogo muita ecumênico com a Igreja Romana. O Papa Francisco é, na verdade, uma figura do século. Ele é revolucionário para a Igreja Católica e muitas vezes mal compreendido, mas não pela maioria.

DL - O papel de Maria Madalena foi diminuído por uma Igreja machista? Ela não seria a principal confidente de Jesus?

S.F. - Ela foi injustiçada na Idade Média. A Igreja tinha por determinação colocar a mulher no segundo patamar e aí há uma confusão provocada inclusive pelo próprio Papa da época, de confundir a Maria Madalena com a prostituta estava sendo apedrejada ou a que foi encontrada em adultério. Temos a tradição de que Jesus tinha 12 apóstolos. Até Michelangelo pinta a Santa Ceia com 12 homens lá sentados à mesa. E as mulheres? Nego a acreditar que elas estiveram na cozinha lavando a louça. Era proibido aos judeus da época falar com uma mulher se ela não fosse sua mãe, irmã ou esposa. Jesus batiza Maria Madalena e a unge como sua discípula. Ela se reúne com mulheres para pregar o evangelho. Jesus tinha duas mulheres fortes ao seu lado a mãe Maria e Maria Madalena. Ela que comunicou aos discípulos que Jesus havia ressuscitado e eles, não acreditam por ela ser mulher. Fico imaginando a crise de Pedro e João correndo ao túmulo para ver o que estava acontecendo. Jesus apareceu antes para Madalena. Na minha igreja, a anglicana, ordenamos as mulheres. Temos as mulheres na mesma dimensão que os homens.

Kanye West se compara a Adolf Hitler e a Jesus Cristo em discurso contra judeus

DL - É certo seguir o velho testamento e organizar marcha para Jesus?

S.F. - Não. Menos Moisés, mais Jesus!

DL - Carro com adesivo 'Propriedade de Deus' tem lógica?

S.F. - Só se você doar o carro para a Igreja

DL - Igreja e comércio podem caminhar juntas?

S.F. - Eu acredito que não, mas também não quero fomentar a falência do comércio.

DL - E Estado e religião?

S.F. - O Estado laico vai garantir que todas as religiões possam coexistir. O Estado de uma religião será usado com violência contra as outras religiões. O Estado laico é o único que garante sua religião, que você tenha a sua fé com dignidade sem nenhum tipo de atropelo, com liberdade.

DL - Quem apoia torturador pode comemorar a Páscoa?

S.F. - Só se for a Páscoa do inferno. Essa gente não tem a menor lógica. Ele (Jesus) foi torturado. Olham para Jesus torturado, crucificado na Sexta-Feira da Paixão. Só pra gente lembrar: a crucificação era a pior condenação porque a pessoa ficava pendurada dias. Ela morria quando as forças acabavam. Paulo (apóstolo), na hora que é condenado à morte, puxa a certificação dele de romano, porque os romanos não eram crucificados. Ele prefere ser decapitado. Fico achando bonitinha essa gente com crucifixo no pescoço apoiando torturador. Vivem na terra plana.

DL - Quem pratica higienismo é cristão?

S.F. - Claro que não. Quem tem medo de pobre tem medo do diferente.

DL - Jesus combina com armas?

S.F. - Se você quer uma arma, assuma: eu não creio em Deus, mas sim, na minha segurança, força, na capacidade de lutar. É gente que não está totalmente conectada com o próprio evangelho. Lembra que Pedro corta orelha do romano com sua faca de pescador e Jesus cura o soldado e ainda briga com Pedro. Moisés ensinou que é olho por olho e dente por dente. Jesus ensinou a amar o inimigo, perdoar. Essa é a revolução de Jesus. Se seguirmos olho por olho, dente por dente, teremos uma nação de cegos.

DL - Jesus combina com preconceito?

S.F. - Estão tentando mudar alguns vitrais históricos de igrejas porque não tem como uma pessoa natural do oriente médio daquele período não ser negra. José fugiu com Maria para o Egito porque lá ele ia passar despercebido. Agora imagina você, no Egito, que é um país da África, com um loirinho de olhos azuis? Iria ser descoberto na hora. É nítido que Jesus tinha uma cor escura. É analítico que Jesus tinha muito mais proximidade com os nossos irmãos negros do que com os brancos. Todavia, a igreja é culpada dessa história. Essa gente que incentiva o racismo. Em alguns países, o racismo é feito inclusive em nome de Deus.

DL - Qual sua mensagem nesta Páscoa?

S.F. - Reúna a sua família, comemore a ressurreição e a vida. A vida venceu. Vencemos a pandemia e vamos vencer várias pragas. Faça uma oração. Divida o pouco de comida que sobrar com uma pessoa em situação de rua. Não julgue, não queira saber porque que ele chegou ali. Faça sua parte. (Carlos Ratton)

 

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Esportes

São Paulo empata com o Inter e se mantém no G6

Os gaúchos chegaram a três partidas seguidas sem sofrer gols, enquanto os paulistas cravaram quatro jogos ilesos

Cubatão

Concurso do quadro complementar do Exército segue com inscrições abertas

A ESFCEx tem como intuito formar oficiais em várias áreas de interesse do Exército Brasileiro

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter