Já são 90 pessoas desalojadas em São Paulo por causa do temporal

Defesa Civil interditou 20 imóveis em Cidade Ademar, zona sul de São Paulo, por conta dos deslizamentos de terra provocados pela tempestade

Comentar
Compartilhar
15 FEV 201315h19

Deslizamentos de terra provocados pela tempestade da noite desta quinta-feira (14), na capital paulista, provocaram a interdição de 20 imóveis na Cidade Ademar, na zona sul da cidade, e deixaram 90 pessoas desalojadas. Ontem mesmo, a Defesa Civil começou a demolir três imóveis que ofereciam risco à população. Segundo Jair Paca, coordenador da Defesa Civil, o objetivo é desobstruir o córrego sobre o qual essas casas foram construídas.

“Esses imóveis foram construídos irregularmente em cima do córrego aqui na região. Daí a necessidade de remoção desses entulhos, senão fecha o córrego e as consequências serão piores. Essa água pode voltar e aumentar a área inundada na região”, explicou Jair Paca.

A Defesa Civil também colocou 13 subprefeituras de São Paulo em estado de atenção para novos deslizamentos, que podem ocorrer hoje (15) em função de mais chuvas previstas para esta tarde. Ontem, a tempestade no início da noite causou 80 pontos de alagamento (40 intransitáveis), segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), o maior número registrado este ano na cidade.

Temporal que atingiu a capital paulista no fim da tarde desta quinta-feira (14) causou estragos em várias regiões da cidade. A água tomou conta do estacionamento da Escola Visconde de Porto Seguro, na Rua Floriano Peixoto Santos, próxima ao Estádio do Morumbi. Bombas estão sendo usadas para retirar a água do local (Foto: Marcelo Camargo/ ABr)

O coordenador informou que a Defesa Civil se prepara para as chuvas que devem ocorrer na tarde de hoje e vai posicionar equipes nas principais áreas sujeitas à inundação. Durante a manhã, já foram feitas vistorias nas regiões de risco.

Na zona leste do município, um muro caiu sobre três imóveis. De acordo com Jair Paca, essas casa precisaram apenas de limpeza e as famílias já retornaram para as residências. No bairro Jaraguá,  um muro caiu sobre uma edificação, que precisará passar por obras emergenciais. Em Itaquera, 16 barracos foram prejudicados pela tempestade, sendo que três deles caíram no córrego.

Outro local inundado pela água foi o campo da sede social do São Paulo Futebol Clube, na zona sul da capital. Não foi necessária a interdição do estádio.

Cerca de 50 mil residências da região do Morumbi, na zona sul, e do Butantã, na zona oeste, continuavam
sem energia na manhã de hoje. De acordo com a concessionária AES Eletropaulo, foram registradas ocorrências pulverizadas em toda sua área de concessão. Hoje, equipes de 2 mil eletricistas estão concentradas nas ocorrências pontuais, nas zonas sul e oeste.