Itanhaém ajuda Estado a reduzir número de vítimas por afogamento

O trabalho de orientação aos banhistas também se mostrou mais eficaz em 2012, quando foram registrados 45 salvamentos.

Comentar
Compartilhar
17 JAN 201321h43

Um levantamento do Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo apontou, por meio do Posto de Bombeiros Marítimo de Itanhaém – Salvamar Paulista, que as praias de Itanhaém ficaram mais seguras em 2012. Segundo o órgão, no ano passado houve 11 mortes por afogamento na Cidade, contra 19 em 2011, uma redução de 42,1% dos casos. Entretanto, a redução das vítimas nas praias do Estado foi de apenas 2,7%, já que em 2012 foram registrados 109 casos, diante de 112 em 2011.

Em Itanhaém isso se deve, principalmente, ao trabalho realizado pela parceria entre os governos estadual, municipal, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, que alocou, ao longo dos 26 km de praias, quase 100 guarda-vidas temporários para proteger a população durante as temporadas de verão, além do trabalho preventivo realizado pelos profissionais efetivos em baixa temporada.

“Nós temos que comemorar estes números porque a redução foi gritante. Itanhaém foi a Cidade que mais reduziu os casos de óbitos em 2012 e não registrou vítimas no feriado de ano novo, a data mais crítica do ano. Isso só foi possível pelo trabalho duro realizado todos os dias pelos guarda-vidas. Eles e todos os órgãos envolvidos estão de parabéns, e garanto que vamos continuar trabalhando muito para chegarmos cada vez mais próximos de zerar esses casos”, explicou o 1º Tenente PM Kléber do Vale, do Grupamento de Bombeiros Marítimo do Estado de São Paulo e comandante do Posto de Bombeiros Marítimo de Itanhaém.

A parceria rende importantes instrumentos nas operações de prevenção e de salvamentos aquáticos, como por exemplo, o helicóptero águia da Polícia Militar, cedido especialmente para a temporada de verão, patrulhando as áreas de arrebentação das praias. Além dele, o Corpo de Bombeiros pôde utilizar motos aquáticas, botes infláveis e até uma viatura URSA (Unidade de Resgate e Salvamento Avançado).
 

No ano passado houve 11 mortes por afogamento em Itanhaém (Foto: Divulgação)

O intenso trabalho de orientação aos banhistas também se mostrou mais eficaz em 2012, quando foram registrados 45 salvamentos, 12 a menos do que no ano anterior. Apesar das diferenças, o comparativo entre 2011 e 2012 traz um ponto em comum: nos dois anos não houve morte por afogamento no feriado de Ano Novo, considerado um ponto crítico pelas autoridades e que possui largo histórico de vítimas nas cidades litorâneas.

Vale ressaltar que o trabalho continua intenso em 2013, com todos os equipamentos e profissionais voltados para a segurança de moradores e turistas até o fim do mês de março, quando o movimento de banhistas na Cidade diminui e chegam ao fim os contratos dos guarda-vidas temporários. No entanto, os profissionais efetivos seguirão trabalhando para que os índices do balanço deste ano sejam ainda melhores.